Campanha Janeiro Branco movimenta espaços públicos

A Campanha Janeiro Branco, sempre no mês de janeiro, atendendo ao simbolismo de que o primeiro mês do ano é como uma “folha em branco”, pela qual as pessoas podem ser inspiradas a refletir e a escrever e/ou reescrever a história de suas vidas.  Em todo o país, há ações independentes, para alertar sobre a importância de dar visibilidade ao tema Saúde Mental, e de traçar estratégias e políticas públicas que atendam à população, capazes de atuar na prevenção do adoecimento mental/emocional.

Segundo a psicóloga Paula Barreto, especialista em psicopedagogia, “O mundo todo precisa falar sobre Saúde Mental,” e aponta: “Os índices de adoecimento emocional das pessoas e de violências sociais, transtornando as vidas das sociedades, comprovam isso: PRECISAMOS FALAR SOBRE SAÚDE MENTAL”.

E falar sobre Saúde Mental significa falar sobre ABSOLUTAMENTE TUDO o que caracteriza, atravessa, condiciona e acompanha as vidas dos indivíduos e das instituições humanas, ou seja, precisamos falar sobre o todo que nos preenche, o todo que nos move e o todo que nos cerca. O mundo todo precisa falar sobre Saúde Mental”, explicou a psicóloga Paula Barreto.

Informou ainda que no mês de janeiro, um grupo de psicólogos fez um movimento nos espaços públicos de Niterói, em prol de uma Cultura da Saúde Mental, quando foram promovidas “ações de conscientização das pessoas quanto ao cuidado da sua Saúde Mental e Emocional. As ações consistiram em acolher as pessoas num caloroso ‘abraço grátis’, e as pessoas recebiam informações sobre saúde mental. E aqueles que demonstravam interesse maior, preenchiam um pequeno autoexam,e para sua própria avaliação de como estava sua saúde mental, e recebiam junto com um bombom um recadinho, com algumas metas para seguir, como por exemplo: ‘caminhar mais”, finalizou ela, feliz com o resultado da campanha do ano de 2020.

Por João Dias
Com informações de Paula Barreto
Fotos: Paula Barreto

O post Campanha Janeiro Branco movimenta espaços públicos apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*