Atualidades

Seminário São José precisa de sua ajuda no mês das Vocações

Mês de agosto, mês das Vocações… e o Seminário Arquidiocesano São José, precisa da sua ajuda.  Você sabia que existem várias formas de colaborar? Uma delas é o projeto “Deus Proverá”, através do qual recebe recursos para continuar com a formação dos futuros sacerdotes. Neste mês Vocacional, o Projeto está divulgando a frase, “A preocupação com as vocações sacerdotais deve estar no centro do amor de cada cristão pela Igreja. Cada um, no âmbito de sua responsabilidade, deverá transformar essa preocupação em formas concretas de ação” (Diretrizes para formação dos Presbíteros, n.83). É através do Projeto “Deus Proverá”, que os fiéis da Arquidiocese de Niterói ajudam o Seminário Arquidiocesano São José a formar os futuros padres. Durante à pandemia Covid-19, não está sendo possível o envio de boleto para os benfeitores, mas há outras modalidades, através das contas vinculadas ao CNPJ: 30.147.995/0002-60, Santander, Agência 3399, Conta Corrente 13.000786-9 ou no Bradesco, Agência 2807, Conta Corrente 0013960-2”. Além destas, recentemente,  uma nova foi agregada: pelo Cartão de Crédito, para que o benfeitor do Seminário Arquidiocesano tenha mais comodidade e não precise sair de casa, neste momento de isolamento social. Para contribuir através do cartão de crédito, acesse o site: http://bit.ly/cartaodeusprovera e preencha o formulário. O Seminário São José tem 111 anos, formando sacerdotes e, para ajudar nas despesas, um dos projetos é o “Deus Proverá”. Padre Douglas, Reitor do Seminário, em entrevista ao SECOM, no ano passado, disse: “A providência divina nunca nos faltou e temos plena confiança de que nunca nos faltará! Ela vem de diferentes formas, seja com auxílio financeiro da Mitra Arquidiocesana, doação de mantimentos das paróquias, ou até mesmo, com a ajuda de movimentos religiosos presentes em nossa Arquidiocese”. E concluiu: “Para auxiliar essas despesas, também temos o nosso Projeto “Deus Proverá”. Seu funcionamento é bem simples: aquele que deseja ser um benfeitor do nosso Seminário, colaborando, mensalmente, para a formação dos futuros padres, basta efetuar um cadastro. A partir daí, você se torna, oficialmente, um benfeitor e poderá nos ajudar da maneira que preferir: boleto bancário via Correios, boleto bancário via e-mail, depósitos ou carnês”, destacou o sacerdote. Para outras informações sobre o Seminário, utilize o WhatsApp: (21) 98679-3022 ou (21) 2717-1855”. Por João Dias Artes: Seminário São José

O post Seminário São José precisa de sua ajuda no mês das Vocações apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

SECOM prepara edição de setembro do Jornal Niterói Católico

O Setor de Comunicação (SECOM) informou que está na pré-produção de mais uma edição virtual do jornal Arquidiocesano Niterói Católico, cuja publicação física não será ainda possível. No dia 31 de agosto, o jornal estará disponível online e também para download, em sua sexta edição somente online, devido ainda, à pandemia da Covid-19. A Arquidiocese possui uma forte presença nos meios de comunicação, a começar pelo seu próprio site, oferecendo conteúdos referentes aos acontecimentos arquidiocesanos. Além disso, o jornal impresso, Niterói Católico, contribui para a transmissão de notícias da Igreja niteroiense. A versão online, assim como a edição física, proporciona ao leitor a experiência de folhear as páginas, em versão para a internet, com interatividade, ou seja, todas as páginas completas, com anúncios, fotos e matérias. O Niterói Católico tem 55 anos de existência, e neste mês de agosto completa 56 anos, com publicações ininterruptas. Fundado em 1964, voltado para o público católico, é um dos mais antigos na categoria. Sua história está diretamente ligada ao crescimento e desenvolvimento da Diocese de Niterói, hoje Arquidiocese. De suas origens, conservou a faculdade de ser porta-voz legítimo e reconhecido da Igreja de Niterói, testemunha fiel da história, tornando-se formador isento da opinião pública cristã. Por João Dias Arte: Thiago Maia

O post SECOM prepara edição de setembro do Jornal Niterói Católico apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Semana Nacional da Família na Arquidiocese continua hoje

Organizada pela Comissão Nacional da Pastoral Familiar (CNPF), a Semana Nacional da Família anualmente é celebrada nas paróquias e comunidades de todo o Brasil, sendo um momento de união, partilha e diálogo, intensificado pela Pastoral Familiar em sintonia com os demais movimentos e pastorais da Igreja. Este é o tema proposto para este ano: “Eu e minha casa serviremos ao Senhor” (Josué 24, 15).” Aberta oficialmente no domingo, dia 9 de agosto, prossegue até o dia 15 de agosto. Devido à pandemia, as paróquias se adaptaram e estão fazendo LIVES. Confira a Programação em algumas paróquias da Arquidiocese: Vicariato Rural 11/08 20h – FAMÍLIA E Matrimônio – Padre Sérgio Facebook: fb.com/pnsfmanilha 12/08 20h – FAMÍLIA E EDUCAÇÃO – Carlos Augusto e Marlene Prevot Facebook: fb.com/pascomnsconceicaorb 13/08 20h – ADORAÇÃO E MISSA – Frei Sebastião Facebook: fb.com/ParoquiaSaoPedroApostoloDeVendaDasPedras 14/08 20h – FAMÍLIA E COMPROMISSO COM A VIDA – Padre Rafael Facebook: fb.com/obatistaitaborai 15/08 15h – EU E MINHA CASA SERVIREMOS AO SENHOR – Padre Marcos, Padre Pedro Gabriel e Frei Sebastião Facebook: fb.com/santuariojesuscrucificadoportodascaixas/ Vicariato Oceânico Paróquia Nossa Senhora de Fátima – Itaipuaçu – Maricá 11/08 18h – Adoração 19h – Santa Missa 12/08 19h – Santa Missa 20h – Terço Mariano 13/08 19h – Santa Missa 20h – Palestra: eu e Minha Família servimos ao Senhor – Matheus e D. Deise 14/08 19h – Santa Missa 20h – LIVE Musical da Família – Pe. Francisco e Michelly Gondim 15/08 17h – Santa Missa 18h – Retrospectivas de Semanas da Famílias anteriores Facebook: fb.com/paroquiaitaipuacu Quase Paróquia São João Batista de La Salle Diariamente às 19h Facebook: fb.com/paroquiasaojoaobatistadelasalle/ Paróquia São José do Imbassaí Diariamente às 15h palestras, e 20h, oração pelas famílias Facebook: fb.com/pastoralfamiliarsj Vicariato Lagos 11/08 FAMÍLIA E MATRIMÔNIO – Padre Willian Cesar 12/08 FAMÍLIA E EDUCAÇÃO – Neit e Jorge 13/08 HORA SANTA DA FAMÍLIA – Padre Leandro 14/08 FAMÍLIA E COMPROMISSO COM A VIDA – Tânia e Juliano Feital 15/08 EU E MINHA CASA SERVIREMOS AO SENHOR – Adriana e Anderson Todas as palestras às 20, no Facebook: fb.com/vicariao.lagos Vicariato São Gonçalo Paróquia São Gonçalo de Amarante Todos os dias, até 15 de agosto às 19h YouTube: youtube.com/vozdoamarante Paróquia Sant’Ana Todos os dias até o dia 15 de agosto, às 19h. YouTube: youtube.com/pascomsantanaitauna Paróquia Nossa Senhora de Fátima 11/08 20h30 – A importância da Família e os desafios da família nos dias de hoje e as maneiras de buscar a santificação das famílias. – Padre Vidal Cunha Facebook: fb.com/cave.cssp A Semana Nacional da Família Dentro do Mês Vocacional, a Igreja no Brasil celebra, na segunda semana de agosto, a Semana Nacional da Família, uma mobilização de grupos e comunidades que ocorre, desde 1992, com momentos de oração, formação e reflexão. Neste ano, a Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) propôs como tema “Eu e minha casa serviremos ao Senhor” (Josué 24, 15). Para animar a Semana Nacional da Família, do Dia dos Pais até o dia 15 de agosto, a Comissão Nacional da Pastoral Familiar (CNPF), organismo vinculado à Comissão Vida e Família da CNBB, elabora o subsídio “Hora da Família”, que começou a ser editado desde a vinda de São João Paulo II ao Brasil, em 1994. Neste ano de 2020, o material ganhou duas versões, uma com encontros mensais e outra, especialmente, preparada para a Semana Nacional da Família, agora chamada “Hora da Família Especial”. Por João Dias Com CNBB/Pastoral Familiar Arquidiocesana

O post Semana Nacional da Família na Arquidiocese continua hoje apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Paróquia em São Gonçalo realiza Feira Vocacional online

A paróquia Nossa Senhora da Conceição e Santa Isabel, Vicariato Alcântara, está promovendo a terceira edição da Feira Vocacional – Sede Santos. A primeira edição do evento, que aconteceu em 2014, teve a participação de mais de 20 congregações. Devido à pandemia da COVID-19, a Feira será online, através de LIVES no canal do YouTube da paróquia, no endereço: https://www.youtube.com/channel/UCDu7TxC7b7s_GnikKndECnw, sempre às 20h. “… mês de agosto, mês dedicado às vocações, aqui no nosso país, e a CNBB, este ano, através de seu plano evangelizador, nos convida a meditar sobre a vocação humana. Uma primeira verdade que nos é proposta é que Deus nos ama. Isto está muito presente no tema deste mês e no lema. O tema: <<Amados e chamados por Deus>> (Chv112) e o lema: <<És precioso aos meus olhos. Eu te amo>> (Is 43,1-5), uma citação bíblica, que consta do documento do Papa, na Exortação Apostólica, Christus Vivit. Então, a primeira verdade é que Deus nos ama e que nunca deveremos duvidar disso, apesar de na vida nos acontecerem momentos difíceis. No entanto, Ele nos ama. Em qualquer circunstância, somos amados infinitamente. O mês vocacional quer enfatizar que fomos chamados a amar, porque fomos, antes de tudo, amados por Deus. E é nessa perspectiva, que a nossa paróquia promove, em mais um ano, uma feira vocacional”, destacou Padre Humberto Marins, Pároco de Santa Isabel, que irá mediar as LIVES. A programação começa amanhã, confira: 11/08 – Vocação Matrimonial com Ivan e Hully. 18/08 – Vocação Religiosa com a Ir. Marcela. 25/08 – Vocação Sacerdotal com Pe. Demétrio. Para informações adicionais, acesse o Instagram @feira_vocacional.   Por João Dias com Mariana Brum Arte: divulgação

O post Paróquia em São Gonçalo realiza Feira Vocacional online apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

“O Senhor se faz presente ao nosso chamado e nos responde com amor.”

O Arcebispo Metropolitano de Niterói, Dom José Francisco, a cada domingo está visitando uma comunidade diferente da Arquidiocese, para a celebração dominical. Na Santa Celebração do 19º Domingo Comum, dia em que comemoramos, antecipadamente, o Dia do Diácono, o Arcebispo Metropolitano celebrou a Missa, com transmissão online, e presença de público reduzido, na Paróquia São Lourenço, no Fonseca, Município de Niterói. Como vem acontecendo todos os domingos, o Arcebispo rezou pelas intenções que todos trazem no coração. Antes da Santa Missa, o diácono Nélio do Amparo, na transmissão pela Rádio e Rede Sociais, apresentou as seguintes intenções: “. Nas intenções do Papa Francisco; pelos Pais, nesse dia a eles dedicado e pelos Pais falecidos; pela Paróquia de São Lourenço, que amanhã celebra o seu padroeiro; pelos Diáconos Permanentes, que amanhã celebram o dia do Diácono; pelos mais de 100 mil falecidos pelo coronavírus e pelas famílias enlutadas; pelos infectados pelo coronavírus; pelos profissionais da saúde e pesquisadores; pelos pobres e enfermos e por aqueles que buscam aliviar seu sofrimento; pelas almas de Dom Pedro Casaldáliga, Pe. Germano Vernoou, Madre Maria Bernadete e José Firmino de Assis e pela saúde de Pe. Matias, Alexandre, Guilherme, Hugo, Renato, Carlos, Irmã Raquel, Irmã Zélia.”. No início da homilia, disse o Arcebispo: “Muitas vezes nos perguntamos: onde podemos encontrar Deus? Mas, na verdade, não somos nós que vamos ao seu encontro, Ele é quem vem ao nosso encontro se nos dispomos a acolhê-lo. É o que as leituras deste domingo nos ensinam, ao falar do monte, da tempestade, da brisa suave como possíveis situações da revelação da presença de Deus. E o evangelho nos mostra que, mesmo nos momentos de fraqueza na fé, o Senhor se faz presente ao nosso chamado e nos responde com amor.”. Em um outro trecho da homilia, Dom José Francisco lembrou o dia dos pais: “Hoje, celebramos o Dia dos Pais, e rezemos por todos eles: pelos pais vivos e falecidos. Os pais também não estão isentos de “tempestades”, que se formam na família, no mundo do trabalho, na sociedade e na comunidade. Nesses momentos, podem experimentar a sensação de estarem afundando no mar da frustração e do desânimo. Rezemos para que eles possam também perceber a presença de Cristo, que vem ao seu encontro com palavras de esperança. <<Coragem! Sou eu. Não tenhais medo!>>”. “Todos nós, diante dos muitos medos que surgem, façamos como Pedro e gritemos a Jesus: Senhor, salva-me! Ele é o único que pode nos salvar. O próprio nome Jesus é uma profissão de fé, pois a palavra Jesus significa Deus salva. Com simplicidade, peçamos sempre a Jesus, invocando o seu nome: Jesus, tem piedade de mim! Jesus, eu confio em ti! Jesus, salva-me! E que possamos sentir a sua mão poderosa, que nos ergue, que nos livra do mal e nos coloca dentro da barca, em direção ao porto seguro”, destacou o Arcebispo, ao final da homilia do 19º Domingo Comum. Ao final da Santa Missa, o Arcebispo, apresentou e enviou a nova Comissão Arquidiocesana das Pastorais Sociais. Em seguida, Dom José abençoou os presentes e os que o acompanhavam de casa, pelas Redes Sociais e pela Rádio Anunciadora. A cada domingo, Dom José Francisco irá celebrar em uma comunidade da Arquidiocese de Niterói. Reveja a celebração do 19º Domingo Comum, em Full HD aqui: Por João Dias Foto: Pascom São Lourenço

O post “O Senhor se faz presente ao nosso chamado e nos responde com amor.” apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Dom José apresenta e envia Comissão Arquidiocesana das Pastorais Sociais

Dom José Francisco apresentou e enviou, durante a Santa Missa do 19º Domingo Comum, a Comissão Arquidiocesana das Pastorais Sociais. Antes da Apresentação, o Arcebispo agradeceu o trabalho de Raphael Costa, que até ontem era o coordenador das Pastorais Sociais da Arquidiocese. A Comissão Arquidiocesana das Pastorais Sociais para os próximos dois anos é composta por Padre Goretti,  Assessor Eclesial; Lara Bernardo, Pastoral do Povo de Rua; Ciro de Hollanda, Pastoral da Cidadania; Rosa Aparecida Rodrigues, Pastoral da Criança e  Cirlei de Souza Andrade, Pastoral da Saúde, integram a Comissão Arquidiocesana das Pastorais Sociais. Seu objetivo principal é unir os pontos em comum e adaptar as ações da comissão ao que for necessário, de acordo com a realidade de cada local. Hoje, devido à pandemia, estamos vivendo, no país, uma carência muito grande na área social, e o trabalho desses voluntários se torna cada vez mais necessário para o combate à desigualdade.  A Comissão irá ajudar na articulação e no apoio a todas as Pastorais Sociais da Arquidiocese de Niterói. A Comissão Arquidiocesana de Pastoral Social foi criada em 2018, na Arquidiocese, com a missão de desenvolver um trabalho de unidade e fortalecimento da Dimensão Sociotransformadora. Na Arquidiocese de Niterói, existem 11 pastorais sociais e movimentos organizados em nível diocesano: Pastoral da Criança, Carcerária, da Sobriedade, do Povo de Rua, da Saúde, da AIDS, dos Surdos, da Cidadania, Conferência Vicentina, Servos da Alegria e o Ministério da Promoção Humana da RCC. Também participam das atividades da Comissão as Pastorais Universitária, da Juventude e da Educação, além dos diversos serviços de solidariedade que atuam nas paróquias, como a Obra do Berço, ambulatórios, creches, orfanatos e casas terapêuticas. Por João Dias Foto: Pascom São Lourenço

O post Dom José apresenta e envia Comissão Arquidiocesana das Pastorais Sociais apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Dia dos servidores da Palavra de Deus, da Caridade e da Liturgia

Hoje, dia 10 de agosto, a Igreja Católica celebra, em todo o mundo, o dia do diácono, “os pioneiros de uma civilização do amor”, disse o Papa Francisco, no ano de 2017. Os servidores da Palavra de Deus, da Caridade e da Liturgia, são lembrados na festa de São Lourenço, diácono e mártir, patrono dos diáconos, de quem recordamos o testemunho a respeito dos “bens” da Igreja: “a riqueza da Igreja são os pobres!” O diácono é uma vocação ministerial para o serviço. “Os pioneiros da nova civilização do amor.” Retomando uma frase de João Paulo II, assim o Santo Padre, o Papa Francisco define os diáconos, no prefácio do volume O diaconato no pensamento do Papa Francisco, de Enzo Petrolino, publicado pela Livraria Editora Vaticana (Lev), no ano de 2017. O próprio termo diaconia expressa ser diácono o que serve, configurando-se ao Cristo Servo, que não veio para ser servido, mas para servir, e dar a vida em resgate de muitos (Mc 10,45). O ministério diaconal expressa-se em três dimensões: o serviço da Palavra de Deus, o serviço da Caridade e o serviço da Liturgia. O Diaconato é sacramento da caridade aos pobres e excluídos, no sentido amplo. Assim, o diácono não é ordenado para si mesmo, nem para colocar-se acima dos leigos, nem para desempenhar funções diferentes dos presbíteros e dos bispos, mas pela sua vida e testemunho. Incorporado à Igreja por meio de um Sacramento, ele deve revelar uma dimensão especial da diaconia (serviço), do sacerdócio e do mistério de Cristo, ajudando a construir um mundo mais próximo do Projeto de Deus. Foi no Concílio Vaticano II, que aconteceu a restauração do diaconato, no texto: “Dedicados aos ofícios da caridade e da administração, lembrem-se os diáconos do conselho do bem-aventurado Policarpo: ‘Misericordiosos e diligentes, procedam em harmonia com a verdade do Senhor, que se fez servidor de todos’” (LG 29). A graça sacramental, recebida no dia da ordenação diaconal, dá aos ordenados a força necessária para servir o Povo de Deus na DIACONIA da Liturgia, da Palavra e da Caridade, em comunhão com o Bispo e o seu presbitério (CIC 1588). O Diácono assiste e serve os bispos e presbíteros que presidem a cada liturgia, vigiam sobre a doutrina e guiam o Povo de Deus. Assim sendo, a identidade e a missão dos Diáconos na Igreja é ser sinal de Cristo Servo, e animadores da diaconia da Igreja, da vocação ao serviço de cada comunidade eclesial e de cada cristão. Parabéns aos diáconos da Arquidiocese de Niterói e de todo o mundo! Obrigado pelo serviço à Igreja! Por João Dias Com Santa Sé/CNBB Arte: Thiago Maia

O post Dia dos servidores da Palavra de Deus, da Caridade e da Liturgia apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Movimento de Cursilhos convoca assembleia extraordinária online

A Coordenação do Grupo Executivo Diocesano (GED) do Movimento de Cursilhos de Cristandade do Brasil, na Arquidiocese de Niterói, está convocando para sua Assembleia Extraordinária Arquidiocesana do ano de 2020, online, no dia 3 de outubro. Assembleia Arquidiocesana Extraordinária – 2020 Edital de Convocação   A Coordenação do Grupo Executivo Diocesano  –  GED  –  do Movimento de Cursilhos de Cristandade do Brasil, na Arquidiocese de Niterói, no exercício das suas atribuições, convoca a Assembleia Extraordinária Arquidiocesana para o dia 3 de outubro de 2020, nos termos do Estatuto do Movimento de Cursilhos de Cristandade do Brasil e do Regimento do GED Niterói, Capítulo III, em sua  Seção II, artigos 7º ao 18º e capítulos V e VI,  estabelecendo como temas fundamentais:  – Avaliar a caminhada do MCC na Arquidiocese de Niterói, no ano de 2019. – Aprovação da data e local da próxima Assembleia Ordinária 2020. – Prestação de contas do GED e dos Setores, de janeiro a dezembro de 2019. – Aprovação do novo Estatuto do GED Niterói. – Assuntos Gerais. Comunicamos a todos que devido aos decretos governamentais e às orientações técnicas dos órgãos de saúde pública e da Arquidiocese de Niterói, esta assembleia será de forma virtual, no intuito de preservar a saúde de todos os participantes. Local: Através do aplicativo Google Meet no link disponibilizado na semana da assembleia. Período:  3 de outubro de 2020. Horário: a partir das 9h. Niterói, 25 de julho de 2020. Coordenação do GED Niterói

O post Movimento de Cursilhos convoca assembleia extraordinária online apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Arcebispo visita paróquia em São Lourenço para Santa Missa

  O Arcebispo Metropolitano de Niterói, Dom José Francisco, a cada domingo está visitando uma comunidade diferente da Arquidiocese, para a celebração dominical. A terceira comunidade a receber a visita do Senhor Arcebispo será a Paróquia São Lourenço, município de Niterói. A Santa Missa do 19º Domingo Comum, quando se festeja o Dia dos Pais, será transmitida, ao vivo, pelo Facebook, YouTube e a Rádio oficial da Arquidiocese, dia 09 de agosto às 10h. Participe da Santa Celebração, com Dom José Francisco, no dia 09 de agosto, através do site: https://arqnit.org.br, https://radioanunciadora.org.br, https://fb.com/arqnit, https://fb.com/radioanunciadora ou https://youtube.com/arqnit. Acompanhe em Full HD aqui: Por João Dias Arte: Thiago Maia

O post Arcebispo visita paróquia em São Lourenço para Santa Missa apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Lei Maria da Penha: CNJ alerta para um aumento da violência

A Lei n 11.340 de 2006, conhecida como Lei Maria da Penha, que visa a coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher, completou 14 anos, hoje dia 7 de agosto. Apesar disto, os índices de violência contra a mulher seguem aumentando. Um comparativo entre os anos de 2018 e 2019, solicitado ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ), pela redação do Jornal Niterói Católico, aponta que os números de novos processos de feminicídio registram um aumento de 5%, e os de violência doméstica, 10%, nos tribunais estaduais de justiça de todo o país. De acordo com o artigo nº 5 da Lei, configura-se violência contra a mulher qualquer ação ou omissão baseada no gênero, que cause morte, lesão, sofrimento físico, sexual, psicológico, dano moral ou material, seja: no âmbito da unidade doméstica, compreendida como o espaço de convívio permanente de pessoas, com ou sem vínculo familiar, inclusive as esporadicamente agregadas; no âmbito da família, compreendida como a comunidade formada por indivíduos que são ou se consideram aparentados, unidos por laços naturais, por afinidade ou por vontade expressa; em qualquer relação íntima de afeto, na qual o agressor conviva ou tenha convivido com a ofendida, independentemente de coabitação. Em caso de necessidade, a justiça poderá determinar, em favor da vítima de agressão, medidas protetivas de urgência, como proibir ao agressor aproximar-se ou tentar manter contato com a vítima. Caso essas medidas não sejam cumpridas, o juiz poderá imputar sanções penais mais rigorosas ao agressor. A conselheira Maria Cristiana Ziouva, coordenadora do Movimento Permanente de Com até à Violência Doméstica do CNJ, disse que: “A Lei Maria da Penha foi editada e aprovada com o objetivo de prevenir e reprimir a violência doméstica e familiar contra as mulheres e lhes garantir a devida assistência e proteção. Desde a sua promulgação, algumas alterações legislativas foram realizadas para garantir sua efetividade, como a inclusão pela Lei 13.104/2015 do crime de feminicídio no rol de crimes hediondos a alteração na Lei 11.340/2006 pela Lei 13.871/2019 que torna o agressor responsável pelo ressarcimento dos custos relacionados aos serviços de saúde prestados pelo SUS às vítimas de violência doméstica e familiar e mais recentemente, a inclusão do comparecimento do agressor a grupos reflexivos, como uma das medidas protetivas de urgência”, destacou ela. Maria Cristiana alerta: “Mas essas mudanças legislativas, embora louváveis, não foram suficientes para modificar o quadro alarmante de violência contra a mulher, atual. Os últimos anos têm sido marcados pelo aumento de casos de feminicídio que chegam ao Poder Judiciário.” “Para reverter esse quadro preocupante é preciso ação integrada interinstitucional do Poder “Judiciário, Ministério Público, Defensoria Pública, com os órgãos de segurança pública e assistência social, tal como prevê o artigo 8º da Lei 11.340/2006, de forma a garantir a implementação de políticas públicas e soluções que deem respostas efetivas às expectativas das mulheres que sofrem diariamente com a violência, seja ela física, psicológica, moral ou patrimonial”, sugere a Conselheira. Para a Assistente Social, Bárbara Leal, “estamos completando 14 anos da promulgação da Lei Maria da Penha, porém ainda temos muito o que avançar na defesa dos direitos das mulheres. Ainda hoje, muitas vezes as mulheres são culpabilizadas pela violência sofrida em detrimento do agressor”. “É necessário abordar mais o assunto e disseminar amplamente informações sobre esta lei, que ainda é pouco conhecida, para que as mulheres saibam de seus direitos e possam lutar por eles, quebrando estes e outros paradigmas que violam ainda mais nossos direitos e dignidade”, concluiu Bárbara Leal, apontando a necessidade de um trabalho maior sobre este assunto. Sobre o CNJ, a conselheira Maria Cristiana Ziouva, destacou que: “No âmbito do Poder Judiciário, o Conselho Nacional de Justiça, que por força constitucional, é um órgão administrativo-financeiro, ao lado do dever de zelar pela legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência, tal como qualquer segmento do poder público, dentro dos seus limites de competência, tem contribuído de forma relevante para efetivação de políticas públicas voltadas para o enfrentamento da violência contra a mulher”. “A estruturação do movimento permanente de combate à violência doméstica e familiar contra a mulher é sinal dessa preocupação. A Jornada da Maria da Penha, realizada anualmente, é outro instrumento utilizado pelo Conselho para debater o tema. Iniciado em março de 2015, o Programa Justiça pela Paz em Casa, promovido pelo Conselho Nacional de Justiça, em parceria com os Tribunais de Justiça estaduais tem como objetivo ampliar a efetividade e celeridade jurisdicional, concentrando esforços, três vezes ao ano, para agilizar o andamento dos processos relacionados à violência de gênero”, apresentou ela. Maria Cristiana, disse ainda à redação que, “em setembro de 2018, o Conselho atualizou o Manual de Rotinas e Estruturação dos Juizados de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, o que resultou no aumento de varas especializadas em todo país, e instituiu a Política Judiciária Nacional de Enfrentamento à Violência contra a Mulher, por meio da Resolução 254/2018, definindo diretrizes e ações de prevenção e combate à violência e garantindo a adequada solução de conflitos que envolvam mulheres em situação de violência física, psicológica, moral, patrimonial e institucional, nos termos da legislação nacional vigente e das normas e recomendações internacionais sobre direitos humanos na matéria.”. A coordenadora, afirmou ainda que, “a questão que já integra a meta nacional, n. 8, e a agenda prioritário do Poder Judiciário ainda exige avanços que garantam um atendimento que dê respostas efetivas às expectativas das mulheres que recorrem à justiça, como a descentralização das varas especializadas, que em sua maioria estão concentradas apenas nas capitais ou nas maiores comarcas, a disponibilização de espaços físicos adequados ao atendimento das mulheres em situação de violência, bem como a padronização do enfrentamento ao tema e a capacitação e sensibilização dos magistrados que atuam na área, de forma a garantir um atendimento que seja tecnicamente adequado e ao mesmo tempo mais humanizado, que não reproduza violência de gênero e que atenda às necessidades e anseios das vítimas de violência”, apontou ela, mostrando os desafios para que o atendimento seja mais ágil. “São vários os desafios. […]

O post Lei Maria da Penha: CNJ alerta para um aumento da violência apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »