Atualidades

Pastoral Social participa de ação conjunta de ajuda aos necessitados

As Pastorais Sociais testemunham o serviço da Caridade na sociedade, através de ações socio- transformadoras, inspiradas pela caridade cristã, como lembra Bento XVI, na Encíclica Deus caritas Est. Presentes no mundo, e muitas vezes em situação de fronteira social, as Pastorais são parceiras das diversas organizações da sociedade, especialmente dos movimentos populares, na luta pela justiça e pelo bem comum. Precisam, por isto, de formação metodológica e política, para que essa ação em conjunto seja uma presença aberta ao diálogo, à construção coletiva e à prática da democracia participativa. Evangelizadores pela Palavra vivem o desafio de serem fermento, sal e luz, nas relações e nas estruturas da sociedade humana. Motivados por essa ação sociotransformadora, as pastorais sociais da Arquidiocese estão desempenhando mais uma ação em conjunto, com o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) e com a Secretaria de Assistência Social da Prefeitura de Niterói. Desta vez, as Pastorais têm participado do cadastramento das famílias que vivem no Edifício Nossa Senhora da Conceição, no centro de Niterói. O MPRJ, em nota, informou que por “requerimento efetuado pelo promotor de Justiça Luciano Mattos, responsável pelo caso na Promotoria de Justiça de Tutela de Defesa da Cidadania do Núcleo Niterói/Maricá, obteve a interdição do Condomínio do Edifício Nossa Senhora da Conceição, localizado na Avenida Amaral Peixoto nº 327, no Centro de Niterói. O prédio, composto por 11 andares e 394 apartamentos, encontra-se em evidente situação de risco em função das péssimas condições das instalações, sem serviço de água desde 1º de março e de eletricidade, desde 18 de março, tendo sido este fornecimento cortado devido ao risco de incêndio, pela precariedade das instalações”. Na nota, o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro informou ainda que a decisão da juíza Andrea Gonçalves Duarte Joanes, que “concedeu tutela de urgência acolhendo na íntegra o pedido ministerial determinando a intimação do município para que promova a retirada de todos os moradores do prédio (…) com a proibição de circulação de pessoas em suas dependências. Também foi determinado que a Secretaria de Assistência Social da cidade proporcione aos mesmos a inclusão em programa de aluguel social ou fornecimento de moradia provisória aos moradores reconhecidamente necessitados. A Justiça determinou ainda, após a desocupação, a realização de laudo técnico com indicação das obras necessárias para a recuperação do local”. No final da nota, o MPRJ informou que o pedido de ação civil pública nº 0075994-72.2013.9.19.0002, “aponta que o prédio apresenta grave situação de risco aos moradores, vizinhos e pessoas que por lá transitam por seu péssimo estado de conservação”. A Pastoral Social da Arquidiocese de Niterói, através de seu coordenador, Raphael Costa, informou que “há anos promove ações de solidariedade e assistência às famílias, e está acompanhando a situação. Os agentes vêm dialogando com a Prefeitura para a concessão imediata dos benefícios sociais e a reforma do prédio”. Ainda segundo o coordenador, utilizando a Encíclica Laudato Si, (…) ‘quando os pobres vivem em subúrbios poluídos ou aglomerados perigosos, no caso de ter de se proceder à sua deslocação, para não acrescentar mais sofrimento aos que já padecem, é necessário fornecer-lhes uma adequada e prévia informação, oferecer-lhes alternativas de alojamentos dignos e envolver diretamente os interessados’. Esta é a missão da Pastoral Social junto às famílias do Edifício Amaral Peixoto.”, contou Raphael Costa, à redação do Niterói Católico. A Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos de Niterói (SASDH) informou, através da assessoria de Imprensa, que “finalizou, na quarta feira, 8 de maio, o cadastramento das famílias residentes no imóvel da Avenida Amaral Peixoto, 327, que buscaram atendimento junto à Secretaria. Essas famílias estão passando por uma triagem para definir quais se enquadram nos critérios definidos por lei para receber o aluguel social”, termina a nota enviada ao Niterói Católico. A Pastoral Social da Arquidiocese de Niterói continua acompanhando os moradores e ajudando a SASDH e o MPRJ na Assistência às famílias que ali vivem. Para a Igreja, o serviço da caridade “é expressão irrenunciável à sua própria essência”. A Pastoral Social é expressão desta caridade e da solicitude da Igreja, com as situações nas quais a vida está ameaçada. Expressão que renova, a cada dia, a lição da Gaudium et Spes: “As alegrias e as esperanças, as tristezas e as angústias dos homens e das mulheres de hoje, sobretudo dos pobres e de todos aqueles e aquelas que sofrem, são também as alegrias e as esperanças, as tristezas e as angústias dos discípulos e discípulas de Cristo”. Os diferentes serviços das Pastorais Sociais colocam-se na dinâmica do Seguimento de Jesus Cristo, para que Nele, os pobres e excluídos tenham vida e a tenham num ambiente seguro. Seguindo as orientações do Documento de Aparecida, espera-se que as Pastorais Sociais sejam encorajadas e apoiadas em todas as Igrejas locais – também com recursos financeiros – para que o grito dos pobres e marginalizados seja ouvido e encontre nas comunidades uma resposta de justiça e solidariedade concretas. Voz profética numa sociedade sem horizonte, materializada, atomizada pelo individualismo, elas são hoje, na Igreja, um dos caminhos mais seguros de Evangelização. Quando interrogado pelo Prefeito de Roma, sobre os tesouros da Igreja, o Diácono São Lourenço, então ecônomo da Igreja da mesma cidade, foi buscar os pobres, mendigos, doentes e órfãos, e os apresentou ao Prefeito, dizendo: “estes são o nosso tesouro”.  “Amar e servir com alegria”, esse deve ser o sentimento de todas as pessoas que aceitam contribuir com seus dons para as mais diversas pastorais da Igreja católica, buscando, através de suas ações, atender a determinadas situações, em uma realidade específica, tendo como foco principal difundir os ensinamentos deixados por Jesus, nos Evangelhos. As Pastorais Sociais da Arquidiocese de Niterói são: Carcerária, Criança, População em situação de Rua, AIDS, Saúde, Sobriedade, Pobres e Pastoral Social da Igreja, com atendimentos de vários profissionais, cursos, e o movimento da obra do berço. Por João Dias Notas: Raphael Costa/ MPRJ/ SASDH Texto base: Documento de Aparecida e Encíclica Deus caritas Est Foto: Pastorais Sociais

O post Pastoral Social participa de ação conjunta de ajuda aos necessitados apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Dom Frei Alano reflete sobre as dimensões da diaconia de Maria

No sábado dia 18 de maio, o Hotel Solar do Amanhecer foi sede do encontro das esposas dos diáconos permanentes da Arquidiocese de Niterói. O encontro, que acontece uma vez ao ano, teve início com um café da manhã, seguido da oração inicial e de um momento de convivência fraterna e de partilha, das senhoras esposas dos diáconos, com o Arcebispo Emérito de Niterói, Dom Frei Alano. No encontro deste ano o Arcebispo Emérito refletiu sobre as três dimensões da diaconia de Maria. A Aceitação (Faça-se em mim segundo Tua vontade.) – Lc 38, Silêncio (Maria conservava todas as palavras meditando em seu coração.) – Lc 2,19 e a Intercessão (Bodas de Canaã) – Jo 2. Dom Frei Alano, em sua mensagem final, discorreu sobre “O Coração de Jesus não fala, ele irradia”. Ao final, durante a confraternização, foi servido o chá. Por João Dias (com informações do diácono Reynald) Fotos: Diácono Reynald

O post Dom Frei Alano reflete sobre as dimensões da diaconia de Maria apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Festejos da padroeira da Arquidiocese Niterói

Nossa Senhora Auxiliadora é padroeira “aeque principalis” da Arquidiocese de Niterói, juntamente com São João Batista. No dia 24 de maio, os fiéis estarão comemorando a festa litúrgica da santa, e de modo especial, como todos os anos, na Paróquia dos Salesianos, no bairro de Santa Rosa, comunidade que também é dedicada a Maria Auxiliadora dos Cristãos, e por isto centraliza esta devoção desde sua fundação, em 1883. Em agosto, a Arquidiocese de Niterói comemora os 86 anos em que Nossa Senhora Auxiliadora recebeu o título de “aeque principalis”. Depois de São João Batista, a festa de Nossa Senhora é a mais importante, para toda a igreja particular de Niterói. O mérito e benefício chegou, por ocasião do governo de Dom José Pereira Alves, em 20 de agosto de 1933. A Imagem da Padroeira encontra-se na Basílica de Nossa Senhora Auxiliadora, em Santa Rosa, ao lado do Colégio dos Salesianos. Confira a programação em honra à padroeira da Arquidiocese: Basílica Nossa Senhora Auxiliadora (Vicariato Niterói) Dia 24 de Maio 7h30 – Missa – Dom Luiz Ricci 11h –  Súplicas, consagração e bênção de Nossa Senhora Auxiliadora 19h – Missa Solene – Dom José Francisco  – Transmissão pelas Rede Sociais e Rádio Anunciadora Dia 31 de maio 19h – Missa, cantata e coroação de Nossa Senhora Auxiliadora. Depois da celebração, cantina especial, com caldos. Endereço:  Rua Santa Rosa, 216 – Santa Rosa – 24240-225 – NITERÓI – RJ. Informações: (21) 2715-3350   Paróquia de Nossa Senhora Auxiliadora – Laranjal ( Vicariato Alcântara ) Dia 24 de maio 19h30 – Missa Solene com Dom Luiz Ricci Endereço: Rua Bispo Dom João da Mata, Quadra 80, Laranjal, SÃO GONÇALO – RJ Informações: (21) 3061-5984 / (21) 98870-0397   História da Virgem Auxiliadora Esta invocação mariana encontra suas raízes no ano de 1571, quando Selim I, imperador dos turcos, após conquistar várias ilhas do Mediterrâneo, lança seu olhar de cobiça sobre toda a Europa. O Papa Pio V, diante da inércia das nações cristãs, resolveu organizar uma poderosa esquadra para salvar os cristãos da escravidão muçulmana. Para tanto, invocou o auxílio da Virgem Maria. A vitória aconteceu no dia 7 de outubro de 1571. Afastada a perseguição maometana, o Santo Padre demonstrou sua gratidão à Virgem, acrescentando nas ladainhas loretanas a invocação: Auxiliadora dos Cristãos. No entanto, a festa de Nossa Senhora Auxiliadora só foi instituída em 1816, pelo Papa Pio VII, a fim de perpetuar mais um fato que atesta a intercessão da Santa Mãe de Deus: Napoleão I, empenhado em dominar os estados pontifícios, foi excomungado pelo Sumo Pontífice. Em resposta, o imperador francês sequestrou o Vigário de Cristo, levando-o para a França. Movido por ardente fé na vitória, o Papa recorreu à intercessão de Maria Santíssima, prometendo coroar solenemente a imagem de Nossa Senhora de Savona, logo que fosse liberto. O Santo Padre ficou cativo por cinco anos, sofrendo toda espécie de humilhações. Uma vez fracassado, Napoleão cedeu à opinião pública e libertou o Papa, que voltou a Savona para cumprir sua promessa. No dia 24 de maio de 1814, Pio VII entrou solenemente em Roma, recuperando seu poder pastoral. Os bens eclesiásticos foram restituídos. Napoleão viu-se obrigado a assinar a abdicação no mesmo palácio onde aprisionara o velho pontífice. Para marcar seu agradecimento à Santa Mãe de Deus, o Papa Pio VII criou a festa de Nossa Senhora Auxiliadora, fixando-a no dia de sua entrada triunfal em Roma. O grande apóstolo da juventude, Dom Bosco, adotou esta invocação para sua Congregação Salesiana, porque viveu numa época de luta entre o poder civil e o eclesiástico. A fundação de sua família religiosa, que difunde pelo mundo o amor a Nossa Senhora Auxiliadora, deu-se sob o ministério do Conde Cavour, no auge dos ódios políticos e religiosos que culminaram na queda de Roma e destruição do poder temporal da Igreja. Nossa Senhora foi colocada à frente da obra educacional de Dom Bosco, para defendê-la em todas as dificuldades. No ano de 1862, as aparições de Maria Auxiliadora na cidade de Spoleto marcam um despertar mariano na piedade popular italiana. Nesse mesmo ano, São João Bosco iniciou a construção, em Turim, de um santuário, que foi dedicado a Nossa Senhora, Auxílio dos Cristãos. A partir dessa data, Dom Bosco, que desde pequeno aprendera com sua mãe, Margarida, a confiar inteiramente em Nossa Senhora, ao falar da Mãe de Deus, unirá sempre o título Auxiliadora dos Cristãos. Para perpetuar o seu amor e a sua gratidão para com Nossa Senhora, e para que ficasse conhecido por todos, e para sempre, que foi “Ela (Maria) quem tudo fez”, quis Dom Bosco que as Filhas de Maria Auxiliadora, congregação por ele fundada, juntamente com Santa Maria Domingas Mazzarello, fossem um monumento vivo dessa sua gratidão. Dom Bosco ensinou os membros da família Salesiana a amarem Nossa Senhora, invocando-a com o título de AUXILIADORA. Pode-se afirmar que a invocação de Maria, como título de Auxiliadora, teve um impulso enorme com Dom Bosco. Ficou tão conhecido o amor do Santo pela Virgem Auxiliadora que Ela passou a ser conhecida, também, como a “Virgem de Dom Bosco”. Escreveu Dom Bosco: “A festa de Maria Auxiliadora deve ser o prelúdio da festa eterna, que deveremos celebrar todos juntos,, um dia, no Paraíso”. Por João Dias Arte: Thiago Maia

O post Festejos da padroeira da Arquidiocese Niterói apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Últimas vagas para o Encontro Arquidiocesano de Comunicação

O Dia Mundial das Comunicações é celebrado pela a Igreja na Solenidade da Ascensão do Senhor, neste ano de 2019, no dia 2 de junho. O tema escolhido pelo Papa Francisco foi: “Somos membros uns dos outros (Ef 4,25). Das comunidades às comunidades”. O tema “sublinha a importância de restituir à comunicação uma perspectiva ampla, baseada na pessoa, e enfatiza o valor da interação entendida sempre como diálogo e oportunidade de encontro com o outro”, informa uma nota da Sala de Imprensa da Santa Sé. Para celebrar essa data com Oração, formação e Partilha, a Arquidiocese de Niterói fará, no dia 25 de maio, a partir das 8h, o Encontro Arquidiocesano de Comunicação, cujo tema será: “A convergência das Mídias, Unidade e a Ética”. As paróquias da Arquidiocese terão que enviar, no mínimo, 3 participantes para o encontro. Restam poucas vagas para o encontro. Comunicar é uma arte, que nos possibilita ser com o mundo. De muitos modos, transmitimos algo e procuramos material para nos assegurarmos que consolide nossos posicionamentos. Mas, ao mesmo tempo, sentimos necessidade de coisas novas: fatos, emoções, experiências que interfiram, criativamente, em nosso cotidiano, para arejá-lo. Essa ambiguidade justifica nossa necessidade de comunicação. A Internet, hoje, é um instrumento indispensável para a evangelização; é como o rádio, a televisão, o jornal e a revista, desenvolvendo  um potencial mais amplo para a evangelização: realização de fóruns, chats (bate-papos), realização de reuniões sem a presença física, transmissão de eventos, música, notícias. “Que a Internet possa ser utilizada para a promoção da verdade e do bem comum.”, diz o Papa Francisco. O Encontro Arquidiocesano de Comunicação terá três palestras: A convergência das Mídias, A Unidade e a Ética. As oficinas do encontro são: O instrumento Laboris da Pascom, a notícia em áudio, fotografia e como comunicar nas redes sociais. Cada participante escolherá uma oficina para participar, não sendo permitida a troca no dia do evento. Com esse Encontro Arquidiocesano de Comunicação, queremos reafirmar o objetivo da Pastoral da Comunicação em nossas comunidades, o valor deste trabalho como instrumento de evangelização. Nessa formação, continuaremos a caminhar, com o propósito de crescer como Pastoral da Comunicação (PASCOM) e transmitir o nosso rosto de Igreja de Cristo, que nos inspira e nos mantém firmes. Por João Dias Arte: Thiago Maia

O post Últimas vagas para o Encontro Arquidiocesano de Comunicação apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Dom Luiz Ricci participa de Audiência Pública

A Câmara de Vereadores de Niterói realizará, hoje dia 20 de maio, às 18h, a audiência pública sobre Políticas públicas e Fraternidade. O evento tem como objetivo promover a participação cidadã dos cristãos e católicos, a partir da Doutrina Social da Igreja. A Audiência terá a presença de Dom Luiz Ricci, que apresentará o tema da Campanha. Segundo informações da assessoria de imprensa da Câmara de Vereadores de Niterói, a Audiência Pública terá como objetivo mostrar à sociedade o trabalho que a Igreja Católica, em Niterói, já vem desenvolvendo, junto à Campanha da Fraternidade, e ouvir sugestões da população sobre reflexões que possam contribuir para Políticas Públicas mais Fraternas. Segundo o coordenador das Pastorais Sociais, Raphael Costa, “além da fala do Bispo Auxiliar, cada pastoral apresentará suas demandas e sugestões para a execução de políticas públicas justas e eficazes”. “Vamos entregar aos vereadores e representantes da Prefeitura uma carta com críticas, sugestões e ideias, para melhorar as políticas públicas, conforme orienta a CNBB, para a Campanha de 2019”, afirma Padre Marcelo, assessor religioso das Pastorais Sociais. A Campanha da Fraternidade é realizada todos os anos, pela Igreja Católica do Brasil, durante o período da Quaresma, e é coordenada pela CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil). O principal objetivo é despertar a solidariedade de todos os fiéis e também da sociedade brasileira, para um problema que envolve todos, buscando assim, uma solução. A cada ano é escolhido um tema, e o de 2018 é: “Fraternidade e superação da violência”, e tem como lema: “Em Cristo somos todos irmãos’’ (Mt 23,8). A audiência pública é aberta para toda a sociedade, e será realizada no plenário Brígido Tinoco, na Câmara de Vereadores, na Avenida Ernani do Amaral Peixoto, 625, Centro, Niterói. Por João Dias com informações de Raphael Costa e da Câmara de vereadores Arte: Divulgação

O post Dom Luiz Ricci participa de Audiência Pública apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

II Caminhada Luminosa pela Paz: “Fraternidade e Políticas Públicas”

A segunda edição da Caminhada Luminosa pela Paz, que será realizada pela Arquidiocese de Niterói, no dia 8 de junho, pretende, como na edição anterior, levar uma grande quantidade de fiéis ao Museu de Arte Contemporânea de Niterói, como gesto concreto da Campanha da Fraternidade que, neste ano, tem como temática  “Fraternidade e Políticas Públicas”. O início das atividades está marcado para às 17h, com Celebração Ecumênica pela Paz, no Museu de Arte Contemporânea (MAC). Após a celebração, caminhada pela Praia de Icaraí até a Igreja de São Judas Tadeu. Segundo a organização, diversas pastorais estão colaborando com a Caminhada, além da participação do movimento ecumênico das igrejas cristãs. Todos estão convidados a participar desta grande Caminhada pela Paz. Por João Dias Arte: Divulgação

O post II Caminhada Luminosa pela Paz: “Fraternidade e Políticas Públicas” apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Políticas Públicas e Fraternidade é tema de Audiência Pública

A Câmara de Vereadores de Niterói realizará, dia 20 de maio, às 18h, a audiência pública sobre Políticas públicas e Fraternidade. O evento tem como objetivo promover a participação cidadã dos cristãos e católicos, a partir da Doutrina Social da Igreja. A Audiência terá a presença de Dom Luiz Ricci, que apresentará o tema da Campanha. Segundo informações da assessoria de imprensa da Câmara de Vereadores de Niterói, a Audiência Pública terá como objetivo mostrar à sociedade o trabalho que a Igreja Católica, em Niterói, já vem desenvolvendo, junto à Campanha da Fraternidade, e ouvir sugestões da população sobre reflexões que possam contribuir para Políticas Públicas mais Fraternas. Segundo o coordenador das Pastorais Sociais, Raphael Costa, “além da fala do Bispo Auxiliar, cada pastoral apresentará suas demandas e sugestões para a execução de políticas públicas justas e eficazes”. “Vamos entregar aos vereadores e representantes da Prefeitura uma carta com críticas, sugestões e ideias, para melhorar as políticas públicas, conforme orienta a CNBB, para a Campanha de 2019”, afirma Padre Marcelo, assessor religioso das Pastorais Sociais. A Campanha da Fraternidade é realizada todos os anos, pela Igreja Católica do Brasil, durante o período da Quaresma, e é coordenada pela CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil). O principal objetivo é despertar a solidariedade de todos os fiéis e também da sociedade brasileira, para um problema que envolve todos, buscando assim, uma solução. A cada ano é escolhido um tema, e o de 2018 é: “Fraternidade e superação da violência”, e tem como lema: “Em Cristo somos todos irmãos’’ (Mt 23,8). A audiência pública é aberta para toda a sociedade, e será realizada no plenário Brígido Tinoco, na Câmara de Vereadores, na Avenida Ernani do Amaral Peixoto, 625, Centro, Niterói. Por João Dias com informações de Raphael Costa e da Câmara de vereadores Arte: Divulgação

O post Políticas Públicas e Fraternidade é tema de Audiência Pública apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Bispo Auxiliar completa mais uma primavera

O Bispo Auxiliar de Niterói, Dom Luiz Antonio Lopes Ricci, completa 53 anos hoje, dia 16 de maio. Rogamos a Deus por sua saúde, sabedoria e força, na entrega a Deus e nos trabalhos pastorais. Que Jesus e Maria o abençoem! “Sou bom pastor, ovelhas guardarei. Não tenho outro oficio nem terei. Quanta vida eu tiver eu lhes darei”. Como diz a música, o Bom Pastor é aquele que se doa pelas ovelhas que lhe foram confiadas. Para marcar a ocasião de uma forma diferente, o Setor Arquidiocesano de Comunicação parabeniza e rende graças a Deus, pela passagem do seu aniversário natalício. Dom Antônio Lopes Ricci nasceu em 16 de maio de 1966, em de Bauru, São Paulo. Monsenhor Ricci, no seu aniversário natalício, lembremo-nos do dom do Sacerdócio, que brota do amor de Cristo que ofertou a Sua vida, e do amor misericordioso do Pai, que quis salvar todos os homens. Parabéns, Dom Luiz Ricci, que Deus o abençoe e conduza seus passos rumo à santidade almejada. Deus o escolheu! Por João Dias Arte: Thiago Maia

O post Bispo Auxiliar completa mais uma primavera apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »