Atualidades

Praia na região oceânica de Niterói recebe Campanha sobre Saúde Mental

No dia 18 de janeiro, sábado, a partir das 9h, vários profissionais voluntários das áreas de Psicologia, Serviço Social e Biomedicina organizarão um mutirão de conscientização sobre a importância do cuidado da Saúde Mental e Emocional, através de momentos de reflexão sobre o sentido e o propósito da vida, qualidade de relacionamentos e autoconhecimento. A “Campanha Janeiro Branco”, que há seis anos acontece em todo o país, tem o objetivo de alertar sobre a necessidade de refletir e prevenir o adoecimento mental/emocional das pessoas e contribuir para a valorização da subjetividade humana. A Campanha acontece sempre no mês de janeiro, atendendo ao simbolismo de que o primeiro mês do ano é como uma “folha em branco”, pela qual as pessoas podem ser inspiradas a refletir e a escrever e/ou reescrever a história de suas vidas.  Em todo o país acontecem ações independentes, para alertar sobre a importância de dar visibilidade ao tema Saúde Mental, e a importância de traçar estratégias e políticas públicas que atendam à população, e sejam capazes de atuar na prevenção do adoecimento mental/emocional. Segundo uma das organizadoras, a psicóloga Paula Barreto, especialista em psicopedagogia, “A Campanha Janeiro Branco, a maior Campanha do mundo em prol da construção de uma cultura da Saúde Mental na humanidade, nasceu para tornar realidade o ideal de um mundo mais saudável em relação a tudo o que diz respeito à subjetividade dos indivíduos”. “Por isso, precisamos falar sobre Saúde Mental, convidando as pessoas para cuidarem de si e da saúde de todos, contribuindo para um mundo com mais sentido, mais harmonia e mais culturas saudáveis para as mentes, os corpos e as relações sociais de todos.”, completou a psicóloga. Ela enfatiza que o “mundo pede, o mundo precisa e todo mundo que compõe a humanidade tem direito à Saúde Mental  e a informações sobre Saúde Mental. Somente conhecendo as corretas informações sobre tudo o que pode produzir Saúde e Saúde Mental nas vidas dos indivíduos é que conseguirão ajudar as pessoas a terem vidas mais harmônicas, mais felizes, mais saudáveis, com mais sentido e com mais propósitos e que façam bem a todos. Precisamos falar sobre Saúde Mental e sobre tudo o que diz respeito às múltiplas dimensões da Saúde Mental dos indivíduos e das instituições sociais”, destaca a psicopedagoga. “Precisamos falar sobre Saúde Mental e ensinar os indivíduos a pensarem sobre as condições pessoais, sociais, materiais, culturais, subjetivas e objetivas nas quais vivem, nas quais se relacionam e nas quais reproduzem as suas existências. Todo ser humano precisa aprender a cuidar da sua Saúde Mental e da Saúde Mental das pessoas com quem convive e com quem se relacionam no dia-a-dia.”, explica Paula Barreto. Ela aproveitou a oportunidade para reforçar o convite: “de agora até janeiro de 2020, a Campanha Janeiro Branco convida todo mundo a pensar em formas, estratégias, temas, questões, assuntos, ações, iniciativas e abordagens capazes de inspirar e de estimular as pessoas e as instituições sociais a refletirem sobre Saúde Mental e as suas variadas facetas, as suas múltiplas dimensões. O nosso grupo de Psicólogos da Região oceânica de Itaipu repetirá,  em janeiro de 2020, a grande e simples ação que aconteceu em janeiro do ano passado. Será no dia 18 de janeiro às 9h, na Praia de Itaipu, no famoso e agradável quiosque do Jorginho, parceiro fiel da Campanha”, finalizou a psicóloga. Na praia, o grupo estará conscientizando as pessoas da necessidade urgente de falar sobre a Saúde Mental. Serão distribuídos panfletos sobre a campanha e os interresados em participar da Campanha, compareçam no dia ou utilizem as hashtags: #QuemcuidadamenteCuidadavida, #Vemprasaudemental e #janeiroBranco. Por João Dias com informações de Paula Barreto Foto: Arquivo

O post Praia na região oceânica de Niterói recebe Campanha sobre Saúde Mental apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Adolescentes levam solidariedade aos necessitados

Em muitas pesquisas realizadas por vários institutos no mundo, apontam baixos índices de solidariedade entre os adolescentes. Os resultados indicam baixos índices de solidariedade e de inserção social entre os adolescentes. Para modificar essa estática, os adolescentes do Encontro de Adolescentes com Cristo (EAC), da Paróquia São Sebastião em Araruama, realizaram o Natal Solidário, no sábado 21 de dezembro, um dia de confraternização com algumas famílias, onde foram distribuídas mais de 50 cestas básicas e presentes para todas as crianças. Segundo informou a organização, além de um dia de lanche, brincadeiras e danças com as famílias presentes no encontro. O grupo também ajudou as Irmãs Missionárias de Fátima, a Pastoral da população em situação de rua (Pastoral Noturna) e foram doados também cerca de 400kg de alimentos para a Missão Franciscana.   Por João Dias com informações de Ana Paula e Isabele Alves. Foto: EAC Araruama

O post Adolescentes levam solidariedade aos necessitados apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Dom José: “É hora de enxergar e de caminhar em direção aos irmãos”.

O Arcebispo de Niterói, Dom José Francisco, celebrou na noite de domingo, 24 de dezembro, a Missa Solene do Natal do Senhor, também conhecida como Missa do Galo, na Catedral de São João Batista, no Centro de Niterói. A Santa Missa foi concelebrada pelo Bispo Auxiliar, Dom Luiz Antonio, pelo Arcebispo Emérito de Niterói, Dom Frei Alano Maria Pena, OP. e pelos Padres Wallace, Isaías e Juvaldes. Centenas de fiéis estiveram no local para a cerimônia. Ao iniciar a homilia, o Arcebispo  saudou os concelebrantes e fiéis presentes, e aproveitou para enviar a saudação aos que participavam em casa, através dos meios de comunicação. Disse ele:: “…ouvintes da rádio Anunciadora e aqueles que acompanham pelas redes sociais. Mais uma vez Natal! Não há nada nesse mundo que se iguale à beleza e à ternura dessa noite santa. A noite de Natal nos enche de alegria, de esperança e de paz”. Citando o artigo do jornal Niterói Católico, disse: “…alguns devem ter lido, eu contei a história de um seminarista, que estudava em Roma e que, como estava sozinho e longe da família, foi convidado por um bondoso casal para passar o Natal com eles. Depois da ceia, veio a hora dos presentes. A dona da casa, mulher previdente, mantinha guardado um presente que daria para quem fosse convidado ou que chegasse de modo inesperado. Chegou a hora do seminarista abrir o presente. Ele foi desamarrando os laços e, quando terminou de desembrulhar o presente, surgiu diante dele um objeto de rara beleza: uma caixa de couro marrom, com leves toques de vermelho, verde e ouro. Nessa hora, o seminarista, assim que viu a caixa, disse: Gente, nem sei como agradecer! Se a caixa é tão linda, imagine o presente que está ali dentro! E abriu a caixa. Não havia nada dentro. A caixa de couro era o presente. Tudo havia sido dado. Nada havia sido reconhecido. Foi como se o couro fosse papelão. Como ninguém conseguiu disfarçar, o riso desses momentos desabou, e salvou a noite. O riso foi o grande presente de Natal. Essa não é a história de um natal, mas a história do Natal. Durante os quatro domingos do Advento, fomos desamarrando as fitas, retirando os laços e os nós que nos amarram, desembrulhando o papel que nos esconde de nós mesmos. O Natal chegou, contemplemos o presente!…”, destacou o Arcebispo. Dom José Francisco, concluiu sua homilia, dizendo: “… É hora de enxergar e de caminhar em direção aos irmãos. Vamos servi-los! Vamos perdoá-los! Vamos amá-los! (…) O Natal acontece de novo onde estiver um brilho de fé, por menor que seja, que nos leve a tentar, sempre e de novo, que o Reino de Deus se instaure nessa terra seca. O deserto vai florir. O asfalto se tornará jardim. As flores se transformarão em frutos. E os frutos serão doces. (…) O presente de Deus já chegou. O presente de Deus é Jesus. Feliz Natal a todos! Amém!”, concluiu o Arcebispo de Niterói. Após a Eucaristia, o Padre Wallace agradeceu a presença do senhor Arcebispo, em mais uma celebração de Natal, na Catedral São João Batista. Dom Luiz Antônio leu uma mensagem de Natal aos presentes.  Dom José Francisco levou a imagem do Menino Jesus, em procissão, até o presépio, abençoando os fiéis, em seguida. História Para celebrar o nascimento de Jesus, a Missa do Galo foi instituída no século V, após o Concílio de Éfeso (431 d.C.), começando a ser celebrada, oficialmente, na Basílica de Santa Maria Maior, em Roma, pelo Papa Sisto III. É celebrada à meia-noite do dia 24 de dezembro. O galo foi escolhido como símbolo desta celebração porque, histórica e tradicionalmente, representa vigilância, fidelidade e testemunho cristão. Nos primeiros séculos, as vigílias festivas eram dias de jejum. Os fiéis reuniam-se na igreja e passavam a noite rezando e cantando. A Igreja era toda iluminada com lâmpadas de azeite e com tochas. Na tradição católica cristã, todas as velas do Advento são acesas na Missa do Galo, para celebrar solenemente o nascimento do Messias, Jesus Cristo: “Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens de boa vontade”! O Natal é a única celebração do calendário litúrgico que contempla três celebrações Eucarísticas, mas a da noite reúne os aspectos históricos e humanos do nascimento de Cristo. Hoje, tradicionalmente, depois da missa, as famílias voltam para suas casas, colocam a imagem do Menino Jesus no Presépio, realizam cânticos e orações em memória do Messias, filho de Deus, confraternizam-se e compartilham a Ceia de Natal, com eventual distribuição de presentes. Tradições populares A expressão “Missa do Galo” é específica dos países latinos, e deriva da tradição ancestral, segundo a qual, à meia-noite do dia 24 de dezembro, um galo teria cantado fortemente, como nunca ouvido, anunciando a vinda do Messias, filho de Deus vivo, Jesus Cristo. Outra tradição, de origem espanhola, narra que, antes das 12 badaladas dos sinos, à meia- noite de 24 de dezembro, os lavradores da província de Toledo, Espanha, matavam um galo, em memória daquele que cantou três vezes, quando São Pedro negou Jesus, por ocasião da sua morte. Depois, o galo era levado à igreja para ser oferecido aos pobres, a fim de que seu Natal fosse melhor. Outro costume, em algumas aldeias espanholas, era levar o galo à igreja, para que ele cantasse durante a Missa, como uma espécie de prenúncio de boas colheitas. Outra origem da expressão vem do fato de a Missa da Noite de Natal terminar muito tarde. “Quando as pessoas voltavam para casa, os galos já estavam cantando”. O galo também anuncia o nascer do sol, e o seu canto simboliza o amanhecer, comemorado pelos pagãos, como forma de agradecer o surgimento do Sol após o longo período de inverno. Mas, o nome Missa do Galo é usado somente em países de línguas portuguesa e espanhola. Teria sido Sisto III, no ano 400, a instituir uma Missa, para celebrar o nascimento de Cristo ‘ad galli cantus’, isto é, na hora em que […]

O post Dom José: “É hora de enxergar e de caminhar em direção aos irmãos”. apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Celebração de Natal com os funcionários da Mitra Arquidiocesana

Na tradicional Missa para as felicitações natalinas de 2019 à Mitra Arquidiocesana, o Arcebispo de Niterói, Dom José Francisco fala sobre a contribuição dos funcionários da Arquidiocese de Niterói, ao longo do ano de 2019. A Santa Celebração teve aconteceu na segunda-feira, 23 de dezembro, à tarde o Arcebispo Metropolitano de Niterói, Dom José Francisco, presidiu, no salão da sede da Arquidiocese, em Icaraí – Niterói, teve concelebração de Dom Luiz Antonio, Bispo Auxiliar de Niterói, Dom Frei Alano Maria Pena, Arcebispo Emérito, padre Marcos André, Ecônomo da Arquidiocese,  padre Ricardo Mota, coordenador do Setor de Comunicação e o Diácono Nélio do Amparo, rádio Anunciadora. Após a bênção da Santa Missa, houve uma confraternização de Natal para os funcionários. Para o Arcebispo, a ocasião é importante, por destacar que o Natal não pode ser esquecido enquanto celebração da vinda de Deus ao nosso meio.  O Arcebispo lembrou aos funcionários a responsabilidade pessoal para a construção de uma sociedade melhor, mostrando a todos que, além da capacitação para o trabalho, do profissionalismo de cada um, é importante lembrar a função de cada um no serviço do Evangelho. O Bispo Auxiliar, Dom Luiz Antonio, destacou: “Estamos reunidos para celebrar O aniversariante a razão do nosso trabalho, pois somos  colaboradores de Cristo, nesta obra de evangelização que é a Igreja. A mão do Senhor está conosco, o Espírito Santo conduz a Igreja, por isso a gente termina  o como Maria de pé”. Por João Dias/ Íngrid Bianchini Fotos: Íngrid Bianchini

O post Celebração de Natal com os funcionários da Mitra Arquidiocesana apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Programações de Natal e Ano Novo nas paróquias da Arquidiocese

O Setor de Comunicação da Arquidiocese de Niterói, em uma apuração inédita, publica com exclusividade os horários das Missas de Natal e Ano Novo em todas as paróquias da Arquidiocese. Confira: VICARIATO RURAL Paróquia Nossa Senhora da Conceição – Porto das Caixas – Itaboraí 24/12 – 9h/11h/19h 25/12 – 9h/11h 31/12 – 9h/11h/19h 01/01 – 9h/11h Paróquia Nossa Senhora de Fátima – Manilha – Itaboraí 24/12 – 19h30 25/12 – 9h30 31/12 – 19h30 01/01 – 9h30 Paróquia São João Batista – Centro – Itaboraí 24/12 – 19h 25/12 – 8h/10h/19h 31/12 – 19h 01/01 – 8h/19h Paróquia São Pedro Apóstolo – Venda das Pedras – Itaboraí 24/12 – 20h 25/12 – 19h 31/12 – 20h 01/01 – ainda não definida Paróquia Nossa Senhora da Conceição – Boa Esperança – Rio Bonito 24/12 – 20h 25/12 – 8h 31/12 – 20h 01/01 – 10h Paróquia Nossa Senhora da Conceição – Centro – Rio Bonito 24/12 – 19h 25/12 – 10h/19h 31/12 – 19h (Matriz auxiliar) 01/01 – 10h (Matriz auxiliar) Paróquia São João Batista – Praça Cruzeiro – Rio Bonito 24/12 – 19h 25/12 – 10h/19h 31/12 – 19h 01/01 – 10h Paróquia Nossa Senhora da Lapa – Centro – Silva Jardim 24/12 – 19h30 25/12 – 19h 31/12 – 19h30 01/01 – 19h Paróquia Nossa Senhora do Amparo – Centro – Tanguá 24/12 – 19h 25/12 – 19h 31/12 – 19h 01/01 – 19h VICARIATO OCEÂNICO Paróquia São José – Piratininga – Niterói 24/12 – 21h30 25/12 – 10h/20h 31/12 – 21h30 01/01 – 10h/20h Paróquia São José – São José de Imbassaí – Maricá 24/12 – 19h 25/12 – não definida 31/12 – 19h 01/01 – não definida Paróquia Nossa Senhora de Fátima – Itaipuaçu – Maricá 24/12 – 20h – na capela Nossa Senhora Aparecida 25/12 – 9h 31/12 – 22h 01/01 – 9h Paróquia Nossa Senhora de Fátima – Pendotiba – Niterói 24/12 – 19h30 25/12 – 8h/19h30 31/12 – 19h30 01/01 – 8h/19h30 Paróquia São Sebastião – Itaipú – Niterói 24/12 – 21h 25/12 – 9h30/19h 31/12 – 19h 01/01 – 9h30/19h Paróquia São Sebastião e Nossa Senhora de Fátima – Tribobó – SG 24/12 – 18h 25/12 – 7h30 31/12 – 19h30 01/01 – 7h30 Paróquia Nossa Senhora do Amparo – Centro – Maricá 24/12 – 19h 25/12 – 8h/19h 31/12 – 19h 01/01 – 8h/19h Paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus e da Santa Face – Rio do Ouro 24/12 – 20h 25/12 – 9h 31/12 – 20h 01/01 – 9h Quase Paróquia São João Batista de La Salle – Itaipu – Niterói 24/12 – 20h 25/12 – 9h30 31/12 – 20h 01/01 – 9h30 VICARIATO ALCÂNTARA Paróquia Santíssima Trindade – Trindade – SG 24/12 – 20h 25/12 – 18h 31/12 – 20h 01/01 – 18h Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora – Laranja – SG 24/12 – 19h 25/12 – 19h 31/12 – 19h 01/01 – 19h Paróquia Nossa Senhora da Conceição – Pacheco – SG 24/12 – 19h 25/12 – 9h 31/12 – 19h 01/01 – 9h Paróquia Nossa Senhora da Conceição e Santa Isabel – SG 24/12 – 20h 25/12 – 10h/19h 31/12 – 19h 01/01 – 19h Paróquia Santo Antônio – Amendoeira – SG 24/12 – 19h30 25/12 – 10h30/19h30 31/12 – 19h30 01/01 – 10h30/19h30 Paróquia São José Operário – Jardim Catarina – SG 24/12 – 20h 25/12 – nas capelas 31/12 – 20h 01/01 – nas capelas Paróquia São Pedro de Alcântara – Alcântara – SG 24/12 – 19h30 25/12 – 8h/18h 31/12 – 18h 01/01 – 18h Paróquia Santa Catarina Labouré – Jardim Catarina – SG 24/12 – 19h30 25/12 – 10h 31/12 – 19h30 01/01 – 10h Paróquia São Francisco de Assis – Apollo II – Itaboraí 24/12 – 19h 25/12 – 10h/19h 31/12 – 19h 01/01 – 10h/19h Paróquia Sagrado Coração de Jesus – Mutondo – SG 24/12 – 19h30 25/12 – 10h 31/12 – 19h30 01/01 – 10h Quase-Paróquia Santa Luzia – Santa Luzia – SG 24/12 – 19h30 25/12 – nas capelas 31/12 – 19h30 01/01 –  nas capelas VICARIATO LAGOS Paróquia São Jorge – Praia Seca – Araruama 24/12 – 19h30 25/12 – 8h30 31/12 – 19h30 – Dom Diamantino 01/01 – 8h30 – Dom Diamantino Paróquia Nossa Senhora Aparecida – Bananeiras – Araruama 24/12 – 19h 25/12 – 8h/19h 31/12 – 19h 01/01 – 19h Paróquia São Sebastião – Centro – Araruama 24/12 – 20h 25/12 – 10h/19h 31/12 – 19h 01/01 – 10h/19h Paróquia São Vicente de Paulo – São Vicente – Araruama 24/12 – 20h 25/12 – 9h 31/12 – 19h 01/01 – 9h/19h Paróquia Sant’Ana e Santa Rita de Cássia – Manguinhos – Búzios Até o fechamento da matéria não obtivemos informações Paróquia Sagrado Coração de Jesus – Arraial do Cabo 24/12 – 20h 25/12 – 19h30 31/12 – 19h 01/01 – 19h Paróquia Nossa Senhora da Assunção – Centro – Cabo Frio 24/12 – 20h 25/12 – 10h/18h/20h 31/12 – 20h 01/01 – 10h/18h/20h Paróquia Nossa Senhora da Esperança – Jardim Esperança – Cabo Frio 24/12 – 19h30 25/12 – 9h/19h 31/12 – 19h30 01/01 – 9h/19h Paróquia Nossa Senhora de Fátima e São Pedro e São Paulo – Unamar 24/12 – 20h 25/12 – 9h/18h 31/12 – 20h 01/01 – 9h/18h Paróquia São Cristóvão – São Cristóvão – Cabo Frio Até o fechamento da matéria não obtivemos informações Paróquia São Pedro e São Paulo – Aquárius – Cabo Frio 24/12 – 19h30 25/12 – 10h/18h 31/12 – 19h30 01/01 – 10h/18h Paróquia Imaculada Conceição – Centro – Iguaba Grande 24/12 – 19h 25/12 – 9h/20h 31/12 – 20h 01/01 – 10h/18h Paróquia São João Batista – São joão – São Pedro da Aldeia 24/12 – 21h 25/12 – 8h/19h30 31/12 – 19h30 01/01 – 9h/19h Paróquia São Pedro – Centro – São Pedro da Aldeia 24/12 – 19h 25/12 – 8h/19h 31/12 – 19h 01/01 – 8h/19h Paróquia Nossa Senhora de Nazaré – Centro – Saquarema 24/12 – 20h 25/12 – 11h 31/12 – 20h 01/01 – […]

O post Programações de Natal e Ano Novo nas paróquias da Arquidiocese apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Primeira reunião da Pastoral de Conjunto da Arquidiocese

No dia 14 de dezembro, o auditório da Catedral de São João Batista foi a sede da primeira reunião de coordenadores arquidiocesanos de movimentos e pastorais, após a nomeação do Padre Wallace como Coordenador Arquidiocesano de Pastoral. A Pastoral de Conjunto não é uma nova pastoral a ser implantada na Igreja, nem uma Pastoral específica, alinhada às outras pastorais. Nasceu no Concílio Vaticano II, a partir da compreensão de que a Igreja é uma rede de comunidades de irmãos e irmãs, cuja ação pastoral se dá de forma global, orgânica e articulada. Trata-se de uma mentalidade, um espírito, que norteia a ação evangelizadora das dioceses. Devemos entendê-la como um esforço de aglutinação e articulação de metas e princípios, na ação evangelizadora. À Pastoral de Conjunto, cabe a tarefa de promover a unidade na Igreja, e estabelecer o alicerce da estrutura pastoral calcada numa espiritualidade de comunhão. Em Puebla, em 1979, o episcopado latino-americano assim a definiu: ação global, orgânica e articulada, que a comunidade eclesial realiza sob a direção do bispo, destinada a levar as pessoas e todos os membros à plena comunhão de vida com Deus. No encontro, o Padre Wallace destacou a sua função como articulador da pastoral de conjunto na Arquidiocese, a importância dos conselhos paroquiais, vicariais e arquidiocesano, na implantação das novas diretrizes da ação evangelizadora da igreja no Brasil. A Assembleia Geral dos Bispos do Brasil, realizada em Indaiatuba (SP), de 30 de abril a 9 de maio de 2003, aprovou as diretrizes para o triênio 2003-2006, assim resumidas: Evangelizar, proclamando a boa nova de Jesus Cristo, caminho para a santidade, por meio do serviço, diálogo, anúncio e testemunho de comunhão, à luz da evangélica opção pelos pobres, promovendo a dignidade da pessoa, renovando a comunidade, formando o povo de Deus e participando da construção de uma sociedade justa e solidária, a caminho do Reino definitivo. O objetivo da Pastoral de Conjunto não é padronizar as pastorais nem desfigurar a variedade dos dons, carismas e serviços presentes nas comunidades. A busca da unidade não abafa a criatividade, nem a ação do Espírito Santo. Cada grupo ou movimento eclesial, com sua espiritualidade e objetivos específicos, coloca-se em sintonia com as metas que a Igreja, como um todo, deseja alcançar. Assim se configura a espinha dorsal, na qual, fraternalmente, se equilibram os membros do Corpo de Cristo, que é a Igreja, dispostos a caminhar numa perspectiva da pastoral orgânica: aposta-se na eficácia dos Conselhos de Pastorais como instrumento articulador da evangelização; estudam-se e aplicam-se os planos pastorais das dioceses; renuncia-se às interpretações pessoais, do subjetivismo e do espontaneísmo; abandona-se o espírito de “grupismo”, as pastorais isoladas entram numa salutar crise de identidade, que as reconduz ao núcleo de uma ação missionária, pautada pela sociedade e pela ajuda mútua; desmontam-se os esquemas internos de competição e concorrência pastorais. O estabelecimento de metas comuns na evangelização, aplicadas com criatividade, senso de comunhão e pertença à Igreja, pode concretizar o ideal da “unidade na diversidade”. As diferenças de leitura e interpretação, necessárias à contextualização dos planos nas distintas realidades, nas quais estamos inseridos, são insignificantes diante da fé comum que professamos. “Pastoral de Conjunto” ou “Pastoral Orgânica” são apenas nomes que damos ao esforço de evangelizar em mutirão: leigos, leigas, religiosos, religiosas e a hierarquia, em comunhão orgânica e missionária, a serviço da vida e da justiça. Por João Dias com informações do padre Wallace Texto sobre a Pastoral de Conjunto: resumo da CNBB Foto: padre Wallace

O post Primeira reunião da Pastoral de Conjunto da Arquidiocese apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Arquidiocese representada no curso de formação em Roma

No dia 30 de novembro, o Papa Francisco recebeu os 400 participantes de um curso de formação para a tutela do matrimônio e o cuidado pastoral dos casais feridos, organizado pelo Tribunal Apostólico da Rota Romana. Ao falar que a Igreja é uma “comunidade de famílias”, abordou a importância da preparação do matrimônio, ainda quando noivos e como discípulos missionários, testemunhas do Evangelho na vida familiar, social e no trabalho. Entre esses 400 participantes, o Padre Rogério Simplício Costa, membro do Tribunal Eclesiástico Interdiocesano de Niterói, conversou com a Redação do Niterói Católico e destacou: O tribunal da Rota Romana promoveu, do dia 26 a 30 de novembro, o curso anual de atualização para todos os agentes de tribunal do mundo inteiro. Se tiver oportunidade de participar do curso, que foi promovido na Basílica de Santa Andrea e Gema,  e ali aprofundar temas concernentes a nossa atuação no tribunal de Niterói. Como tantos outros agentes de tribunais, tive oportunidade de tirar algumas dúvidas, de aprofundar o conhecimento e também dizer da beleza dessa área política da igreja, uma vez que vimos lá representantes de tribunais do mundo inteiro. Bispos, vários sacerdotes, leigos da pastoral familiar e interessados no tema. Vamos ouvir a grandeza do decano da Rota Romana, Monsenhor (…) desenvolver o tema da tela do matrimônio e da cura Pastoral dos esposos feridos, e exortar, cada um de nós, a cada vez mais nos aproximarmos dessa (…) cada vez mais apresentado na Pastoral e tutelarmos o matrimônio, ajudando os homens a se prepararem para o casamento, mas também, acolhermos aqueles que viram seu matrimônio fracassado.   O tema foi concluído no sábado, tendo o  Santo Padre recebido mais de 400 agentes na sala Clementina, onde ele fez questão de cumprimentar cada um, pessoalmente, e dar o seu apoio, dizendo que reconhece o nosso trabalho silencioso, nos tribunais de nossas dioceses e arquidioceses. Foi um momento forte de espirituallidade, onde pude crescer como sacerdote e cristão, e sobretudo  me aproximar ainda mais do coração de pastor do grande Papa. No discurso, o Pontífice lembrou que o encontro no Vaticano marcou o término do curso de formação, com “conteúdos teológicos e processos canônicos importantes para os casais e para a vida da Igreja hoje”, além de direcionar para temáticas “cruciais”. Sobretudo, o cuidado pastoral dos casais feridos, disse o Papa, que não pode ser tratado com uma abordagem “burocrática, quase mecânica”; é preciso entrar na vida das pessoas, “que sofrem e que têm sede de serenidade”. Na exortação aos agentes, juízes, testemunhas e partes envolvidas em cada causa eclesiástica, que enfrentam um matrimônio ferido, que confiem, antes de tudo, no Espírito Santo: “guiados por ele, podem escutar com critério justo”, sabendo examinar, discernir e julgar. O matrimônio cristão, lembrou Francisco, deve ser vivido num caminho de fé, como “colunas da Igreja doméstica”, finalizou o Santo Padre. Por João Dias Foto: Arquivo pessoal

O post Arquidiocese representada no curso de formação em Roma apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Presidência do Regional Leste 1 envia mensagem de Natal

Por ocasião das festas natalinas, a Presidência do Regional Leste 1 – CNBB, enviou ao povo do Estado do Rio de Janeiro sua Mensagem de Natal. Dom José Francisco, Arcebispo de Niterói e Presidente do Regional Leste 1, Dom Gilson Andrade da Silva, bispo de Nova Iguaçu e Vice-presidente do Regional Leste 1 e Dom Tarcisio Nascentes dos Santos, bispo de Duque de Caxias e Secretário do Regional Leste 1, alertam que a “celebração anual do Natal é mais do que uma piedosa recordação de um fato” e recordando o Papa Francisco nos mostram que “a sua proximidade (do Natal) traz luz na escuridão e ilumina a quantos passam pelas trevas do sofrimento”. Os bispos em sua mensagem pontuam com clareza as maiores trevas do sofrimento do povo fluminense “nas cidades e periferias do nosso Estado diariamente somos envolvidos por numerosas trevas do sofrimento: violência nas suas diversas formas, onde os jovens são as principais vítimas; o aumento da violência contra a mulher; fome e miséria crescentes; dolorosas manifestações de racismo e intolerância religiosa; falta de políticas públicas mais eficientes nas áreas da saúde educação e segurança. Tudo aquilo que significa diminuição do valor e da dignidade da vida humana desde a fecundação, passando pelo seu desenvolvimento até a morte natural”. Mas apesar dos motivos de dor e tristeza a Presidência do Regional Leste 1, anima os fieis a serem firmes na fé e na esperança, pois a “esperança cristã oferece a certeza de que a noite da humanidade é visitada pela luz de Deus, o seu Filho Jesus Cristo. Jesus é a novidade no meio de um mundo velho”. FELIZ NATAL COM JESUS! Confira abaixo a Mensagem de Natal na íntegra: SAUDAÇÃO NATALINA DA PRESIDÊNCIA DO REGIONAL LESTE 1 – CNBB “PARA OS QUE HABITAVAM NAS SOMBRAS DA MORTE, UMA LUZ RESPLANDECEU” (IS 9, 1) Por ocasião das festas natalinas, a Presidência do Regional Leste 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, vem apresentar os votos de Santo e Feliz Natal, em nome dos (Arce)Bispos das 10 (Arqui) Dioceses do nosso Estado, a saber, São Sebastião do Rio de Janeiro, Niterói, Campos, Duque de Caxias, Itaguaí, Nova Friburgo, Nova Iguaçu, Petrópolis, Valença, Volta Redonda, e da Administração Apostólica São João Maria Vianney. A celebração anual do Nascimento de Jesus é mais do que uma piedosa recordação de um fato ocorrido há dois mil anos, “a sua proximidade traz luz onde há escuridão, e ilumina a quantos atravessam as trevas do sofrimento” (Francisco, Admirabile signum, n. 4). Nas cidades e periferias do nosso Estado, diariamente somos envolvidos por numerosas “trevas do sofrimento”: violência nas suas mais diversas formas, onde os jovens são as principais vítimas; o aumento da violência contra a mulher; fome e miséria crescentes; dolorosas manifestações de racismo e intolerância religiosa; falta de políticas públicas mais eficientes nas áreas da educação, saúde e segurança, enfim, tudo aquilo que significa diminuição do valor e da dignidade da vida humana desde a fecundação, passando pelo seu desenvolvimento até à morte natural. Todas essas realidades, como também aquelas que experimentamos como sofrimento dentro de nossas próprias casas, podem levar-nos a um certo desalento. Mas a esperança cristã oferece a certeza de que a noite da humanidade é visitada pela luz de Deus, o seu Filho Jesus Cristo: “Jesus é a novidade no meio de um mundo velho, e veio para curar e reconstruir, para reconduzir a nossa vida e o mundo ao seu esplendor originário.” (Ibidem). Nele está a razão para seguirmos o nosso caminho com ânimo renovado. Já às portas de acolher o novo nascimento de Cristo na Belém de nossas vidas, nós, (Arce)Bispos do Regional Leste 1 queremos manifestar nossa proximidade, através da presença solidária e fraterna da Igreja Católica espalhada por todos os recantos do Estado do Rio de Janeiro, a todos e todas, e particularmente àqueles e àquelas que se fragilizados em razão de tantas dores, renovando assim nosso compromisso preferencial com os pobres e os jovens. Que o espírito natalino, feito de lembrança dos mais pequenos e vulneráveis, inspire nossas ações durante todos os dias do ano novo que se aproxima, favorecendo a superação da cultura da indiferença e do descarte e promovendo uma nova cultura do encontro e da paz.

O post Presidência do Regional Leste 1 envia mensagem de Natal apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Arcebispo continua reflexão sobre Carta Apostólica ADMIRABILE SIGNUM

O Arcebispo de Niterói, Dom José Francisco, em sua coluna semanal para os jornais de Niterói, continua destacando a Carta Apostólica ADMIRABILE SIGNUM do Santo Padre o Papa Francisco. Eis o artigo do dia 11 de dezembro: A PRIMEIRA LUZ Conheci uma senhora que armava o Presépio com bastante antecedência para que ele atraísse mais olhares. A cada ano, o seu Presépio crescia e atraía mais admiradores. Mas tinha de tudo: animais selvagens (que não existiam na Belém de Jesus), automóveis (que também não existiam), e até aviões (imaginem!). A pequena estrada por onde despontavam os Reis Magos era atulhada de máquinas, veículos e outras modernidades. Era o jeito de ela expressar seu amor por aquele a quem ela chamava de O Menino Deus. Sempre imaginei que o Menino Deus vinha à noite brincar com os brinquedos que  ambientavam o Presépio. Em muitos lugares, o Presépio caiu em desuso. Na sua última Carta, o Papa Francisco pede para reanimar o costume do Presépio, um SINAL ADMIRÁVEL. Representar o nascimento de Jesus equivale a anunciar, com simplicidade e alegria, o Mistério da Encarnação. O Presépio é um Evangelho vivo. Não há quem não sinta o convite de se pôr a caminho, atraído por aquela divina humanidade. O Presépio é um exercício de imaginação criativa, que reproduz algumas pequenas obras-primas de beleza. O Papa insiste em que esta prática se revitalize. Alguns pormenores narrados por Lucas, do nascimento de Jesus em Belém, nos dizem que completados os dias de Maria dar à luz, «teve o seu filho primogênito, o envolveu em panos e o recostou numa manjedoura, por não haver lugar para eles na hospedaria» (Lucas 2,7). Manjedoura, em latim, se diz praesepium, donde vem a palavra presépio. Ao entrar neste mundo, o Filho de Deus só encontrou lugar onde os animais se juntam para comer. A palha torna-se seu berço. Santo Agostinho escreveu que deitado numa manjedoura, Ele se torna nosso alimento. Tudo na teologia está alinhavado pelo Mistério de Jesus. Do SINAL ADMIRÁVEL do Presépio nos vem a primeira luz. + Dom José Francisco Rezende Dias Arcebispo Metropolitano de Niterói

O post Arcebispo continua reflexão sobre Carta Apostólica ADMIRABILE SIGNUM apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »