Arquivos do Autor: admin

DOM JOSÉ FRANCISCO REZENDE DIAS: UM DEUS QUE NOS VISITA

Nas últimas semanas, temos falado da difícil fabricação dos humanos, como humanos. Nessas semanas que antecedem o Natal, a grande humanização do Verbo, queremos perguntar como Paulo de Tarso lidou com essa questão. Acompanhando as Cartas, encontramos seu trajeto de vida e de descobertas. Aos 18 anos: entrada no partido dos fariseus. Até os 21 anos: viagem a estudos em Jerusalém, interrompida em Damasco. Daí, o encontro com os primeiros cristãos. Dos 21 aos 23 anos: Missão na Arábia. Regresso a Antioquia. Aos 35 anos: segunda visita a Jerusalém, com Tito e Barnabé, quando conhece Pedro, Tiago e João. Entre 35 e 42 anos: Missão na Galácia, Éfeso, Macedônia, Grécia. Entre os projetos, havia uma terceira visita a Jerusalém e, ainda, ir pregar o Evangelho na Espanha, quando seus planos foram decapitados. Mas nada resiste a uma ideia. Nada! Ele andou pelo mundo conhecido da sua época, na Ásia e na Europa. Hoje suas ideias andam pelo mundo, por todos os meios possíveis. Elas redesenharam a união do homem com Deus, num ponto extremamente específico, em Cristo. Antes de Paulo, os filósofos, sobretudo, procuravam explicar Deus a partir do homem. Paulo inverteu, magnificamente, essa equação: ele falou do homem a partir de Deus, e a partir da especificidade clara de Jesus de Nazaré. Essa é a marca registrada de Paulo de Tarso. Foi assim que ele construiu História. Foi assim que ele entrou na História. O cerne da mensagem de Paulo foi o cerne da sua vida: mostrar como Deus entrou no mundo através de Jesus e em Jesus, aquele mesmo que havia nascido e crescido nos cantos mais esquecidos do mundo. Ali, Deus nos visitou. E o cerne dessa visita, a humanidade e a divindade de Cristo, foi também o cerne da mensagem de Paulo. E é o que celebramos, agora, no Natal. Leia Mais »

PADRE DOUGLAS: “Maravilhas fez conosco o Senhor, exultemos de alegria…” (Sl 125,3)

      Quando cantamos essas palavras no Salmo 125, talvez  pudéssemos achar que, ou estamos mentindo, ou talvez essa palavra não seja tão de acordo com a nossa vida. Muitos de nós passamos, e talvez estejamos passando por muitas dificuldades, por muitas tribulações, por muitos sofrimentos, de vários tipos.             Talvez olhemos para trás e pensemos: passamos um ano inteiro de pandemia, estamos terminando um segundo ano, praticamente, de pandemia, com tantas consequências ruins. Será que  podemos dizer, “maravilhas fez conosco o Senhor?”             O salmista hoje, nos convida a nos retirarmos de uma postura pessimista, de uma postura na qual eu e você, muitas vezes, nos encontramos, sem a capacidade de reconhecer que só o fato de estarmos hoje aqui, ouvindo essa Palavra, é porque o Senhor fez maravilhas na nossa vida. Se estamos hoje aqui, escutando a Sua Palavra, nos alimentando do Seu Corpo, do Seu Sangue, é porque não apenas o Senhor fez maravilhas, mas está fazendo maravilhas entre nós, faz maravilhas por cada um de nós… E mais ainda, o salmista nos ajuda hoje a reconhecer que, mesmo quando nós estamos também semeando, entre lágrimas, mesmo quando estamos em momentos de dores, de tribulações, em momentos de deserto, como o povo de Deus enfrentou, nós temos sempre a certeza de que o Senhor caminha conosco, de que o Senhor está no meio de nós. Por isso, nós podemos dizer que o Senhor fez maravilhas. Não apenas que Ele fez, mas que Ele faz, que Ele fará maravilhas na nossa vida. Que essas palavras do salmista nos ajudem a sair de uma atitude que, muitas vezes é a nossa: de reclamação, de queixas, de um azedume, que parece que vai nos penetrando, e de certa maneira, parece que nós vamos nos contaminando uns aos outros, com uma visão negativa da vida, da realidade e de tantas coisas, que nos cercam.             Que o salmista hoje nos ajude a olhar a nossa vida, a olhar a vida ao nosso redor, com um olhar de esperança, porque o Senhor vem até nós para iluminar a nossa vida. E é exatamente porque Ele vem, é exatamente porque nós nos encontramos com Ele, que nós precisamos acolher a palavra do profeta Baruc, na primeira leitura (Br 5,1-9), quando lembrava a cidade de Jerusalém, que a vinda do Senhor deveria fazer com que Jerusalém se despisse de toda a veste, de toda a atitude de luto.             Todos nós sabemos, meus irmãos, que o luto faz parte da nossa vida, muitos de nós convivemos, recentemente, talvez muitos de nós até estejamos vivendo o luto agora. Mas a vinda do Senhor nos convida a não permanecermos no luto, a não permanecermos na dor, na tragédia, na tristeza. O profeta Baruc convida Jerusalém e a todos nós, a sair dessa atitude pessimista que nos marca, e que muitas vezes pesa sobre nós.             Como é difícil quando nós encontramos certas pessoas, que parece que só vivem nas trevas. Nunca está bom… Nunca está nada bom. Só reclamar… Diante dessas pessoas, meus irmãos, há momentos em que o melhor que nós temos a fazer, é nos distanciarmos. Tem hora que a gente tem que se distanciar de quem só sabe se queixar na vida, porque isso nos contamina, daqui a pouco somos nós. A gente começa a sentar para reclamar junto. A gente começa a sentar para reclamar da vida sem a capacidade de olhar o que há de bom.             A palavra do profeta nos ajuda a transformar nossa vida de luto, de trevas, de pessimismo, de tristeza, numa vida de alegria, numa vida de esperança, porque o Senhor, vem até nós. Mas a Sua vinda precisa nos encontrar prontos, preparados como João Batista nos anunciava no evangelho de hoje (Lc 3,1-6): “preparai o caminho do Senhor! Endireitai Suas  veredas”. O convite de João Batista é para que cada um de nós se prepare. Para que cada um de nós esteja preparado, minimamente, para acolher o Senhor, para que Ele não nos encontre distraídos, para que Ele não nos encontre em outra atitude, senão  a atitude da feliz expectativa da Sua chegada.             João Batista é sinal para todos nós também, de que precisamos anunciar a vinda do Senhor em tantos desertos. Porque também nós, como João Batista, precisamos anunciar a vinda do Senhor. Quantas vezes, nós encontramos pessoas tão melancólicas, tão depressivas, que até o Natal causa mais tristeza, causa mais melancolia!             Nós, homens e mulheres de fé, não podemos nos deixar levar por essas visões. Ao contrário, o Natal, como festa da luz, traz para nós uma esperança, ilumina nossa vida. Mas para que nós celebremos, de fato, um Santo Natal, é preciso que a nossa preparação não seja apenas uma preparação exterior, não seja apenas a preparação do presépio e da árvore que montamos, ou dos presentes que daqui a pouco vamos trocar ou dos nossos almoços e jantares de tantas bebedeiras. Mas que a nossa preparação seja sobretudo interna. Seja preparação do coração, seja preparação da vida. Hoje, a palavra de João Batista nos convida a olhar para nós, nos perguntarmos, o que eu preciso endireitar? O que eu preciso consertar na minha vida, para acolher o Senhor?             Todos nós, às vezes, olhamos  na nossa casa e percebemos: tem que trocar lâmpada, tem que consertar o ventilador, tem que fazer isso, tenho que fazer aquilo! Mas depois de um tempo, parece que nós vamos nos acostumando. A lâmpada tá queimada e fica, passa um mês… A gente nem se dá conta! O ventilador parou, só quando fizer muito calor a gente vai lembrar de consertar! Às vezes é o mesmo na nossa vida, nós vamos nos acostumando e não nos preparamos e não nos consertamos. E não nos corrigimos, porque já estamos há tanto tempo fazendo o mesmo, que daqui a pouco a gente canta como Gabriela: ‘ eu nasci assim, eu cresci assim, vou morrer assim!’ E vamos nos habituando a uma vida medíocre, a uma […] Leia Mais »

CENSO da PASCOM Arquidiocesana é destaque no Niterói Católico

Por João Dias Arte: Thiago Maia Um dia após a publicação do “Censo Arquidiocesano da Comunicação” na revista digital Niterói Católico, o portal ArqNit trás a íntegra da reportagem de Íngrid Biachini com ilustrações e artes de Thiago Maia. O Censo esteve disponível aqui no portal entre os dias 19 e 30 de agosto, “…responderam à pesquisa 28 coordenadores da pastoral da comunicação, e 59 agentes, entre paróquias e comunidades. Um total de 45,8% estão concentradas no Vicariato de Niterói.”, descreve a matéria. Confira aqui a íntegra da publicação: ArqNit divulga resultado do Censo Arquidiocesano de Comunicação Com o objetivo de conhecer e verificar os serviços dos agentes da PASCOM, na Arquidiocese de Niterói, durante o mês de agosto foi promovido o “Censo Arquidiocesano da Comunicação”.  Os agentes, representando suas paróquias, capelas ou novas comunidades tiveram, do dia 19 até o dia 30 do mesmo mês, para preencherem o formulário disponibilizado no site arqnit.org.br. Responderam à pesquisa 28 coordenadores da pastoral da comunicação, e 59 agentes, entre paróquias e comunidades. Um total de 45,8% estão concentradas no Vicariato de Niterói. Durante a pandemia, com o isolamento social, a PASCOM se tornou essencial para que a Igreja adentrasse os lares dos paroquianos. A tecnologia, unida ao apostolado, tornou-se grande aliada no anúncio do Evangelho. E o censo mostrou que a maior parte das paróquias tem atuado com os diversos meios de comunicação:  Rádios, Web Rádios, PodCasts, WhatsApp e as redes sociais, Facebook, Instagram, Twitter, e WebTV’s, utilizando os canais do Youtube, onde encontram-se 84,7% das paróquias e comunidades. Todo esse conjunto de ações contribuiu para que os fiéis permanecessem, mesmo que virtualmente, ligados a seu pároco e a sua comunidade, e assim a PASCOM foi além dos muros, comunicando a todos! Quando se fala em redes sociais, transmissões, Web TV, é preciso esclarecer que para a mensagem chegar bem ao receptor, se faz necessário a utilização de bons equipamentos tecnológicos, tais como: computador, celular, mesa de som, cabos, etc. Na Arquidiocese de Niterói, o maior índice de missas dominicais transmitidas, são geradas através do Facebook, com 42,4% de utilização. Por ele também chegam aos fiéis, grupos de oração, adoração, missas diárias, louvores e outros conteúdos de formação e evangelização. Mas de onde vem o recurso? Vem do agente pastoral, que coloca seu aparelho celular e/ou notebook à disposição da Igreja. Sim, é um auxílio à pastoral, e canal da providência para que os fiéis não fiquem sem as celebrações. Mas se torna preocupante, quando se consegue visualizar em números, que apenas 25,4% dos equipamentos utilizados em uma transmissão, são de propriedade paroquial. Fica o registro  de que, o investimento em equipamentos para a pastoral da comunicação é algo urgente! “A Igreja aproxima-se deste novo meio com realismo e confiança. Como os outros instrumentos de comunicação, ele é um meio e não um fim em si mesmo. A Internet pode oferecer magníficas oportunidades de evangelização, se for usada com competência e uma clara consciência das suas forças e debilidades.” (Papa João Paulo II, Dia Mundial das Comunicações, em 12 de maio de 2002) O Censo também apresenta algumas paróquias cuja PASCOM atuava antes da pandemia, realizando transmissões das missas, de eventos e registros fotográficos. Em outras, a comunicação era realizada sem organização pastoral, com um grupo de leigos organizando as demandas na comunicação paroquial. Estes e outros questionamentos foram mudando, conforme agravaram-se os casos de Covid-19, fazendo com que a população fosse para um extremo e vivesse um lockdown. Assim, como uma emergência e providência, paróquias implementaram a Pastoral da Comunicação, tornando-a parte integrante do processo de informação, comunicação e evangelização. Também houve aquelas que continuaram o caminho que trilhavam, e as que precisaram aumentar o serviço pastoral diante da sua realidade, abrangendo a atuação nas redes sociais, com uma programação mais intensa de missas diárias, lives e oração do santo terço. Tudo para que os membros da comunidade não perdessem o vínculo com a Paróquia e entre si. Toda a Igreja foi desafiada nesta pandemia. Cada pastoral tem a sua batalha, “Pois não é contra os homens de carne e sangue que temos que lutar, mas contra principados e potestades, contra os príncipes deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal espalhadas nos ares” (ef. 6,12). E diante do retorno a esta pesquisa, se observou que a estrutura física da pastoral da comunicação ainda é desafiante, tornando a busca espiritual por vezes preocupante. Com 32,2% reunindo-se uma vez ao mês, para orações e 10,2%, semanalmente. Outra demanda que ficou evidenciada, foi a dificuldade dos encontros presenciais, a grande frequência de postagens nas redes sociais e transmissões, com poucos membros na pastoral. A falta de apoio de alguns sacerdotes e, mais uma vez, a utilização de equipamentos pessoais e dificuldade em custear equipamentos para a paróquia. Encerramos o Censo Arquidiocesano de Comunicação 2021, com o seguinte questionamento: Que ações da PASCOM podem melhor contribuir para o bem estar e evangelização nos pós- Pandemia? As respostas foram diversas e animadoras. Destacamos algumas, e o Setor de Comunicação agradece a cada membro que disponibilizou parte do seu tempo para responder a este primeiro documento, que norteará a pastoral da comunicação, ArqNit, em 2022. “Acredito que temos que continuar as transmissões pelo menos de uma missa dominical, por menor que seja a visualização. Acreditamos na importância da evangelização para aquela pessoa que pode ser única participando, mas naquela hora a palavra pode fazer diferença em sua vida!” “As reuniões que o SECOM vem nos proporcionando, nos últimos meses, são fundamentais. Acredito que elas devem permanecer nos pós-pandemia, mantendo o formato online, pois facilita que pessoas dos mais diversos locais participem.”   “Continuar as transmissões, pois conseguimos alcançar muitas pessoas que, antes mesmo da pandemia, não eram alcançadas pela Liturgia Diária e as Celebrações Eucarísticas. É acolhedor você receber a notificação de que a Missa vai começar sendo presidida pela Paróquia da qual faz parte!” “Firmar-se como um meio sólido de comunicação paroquial/arquidiocesano. A PASCOM poderia criar sua plataforma própria, para não depender de imposições […] Leia Mais »

Natal de luz e Concerto de Natal são atrações neste sábado em Niterói

Na próxima sábado, dia 11 de dezembro, na Paróquia São Judas Tadeu, em Icaraí, haverá um Concerto de Natal, com o Coral São João Paulo II e os Pequenos Cantores de São Judas Tadeu. O concerto terá músicos de todas as idades, tocando músicas tradicionais de Natal. Será logo após a Santa Missa das 18h, com transmissão da WEB TV São Judas, no endereço: https://youtube.com/webtvsaojudas. Por João Dias Arte: divulgação Leia Mais »

Natal de luz e Concerto de Natal são atrações neste sábado em Niterói

O Natal de Luz da Paróquia de São Sebastião, em Itaipu, será neste sábado, 11 de dezembro. Você, sua família e amigos poderão desfrutar de diversas atrações, com variadas tendas, com espaço goumert, roupas, doces variados, artigos religiosos, artesanatos e outros. As luzes serão acesas às 18h30, com a celebração da Santa Missa, seguindo-se música ao vivo para fechar a noite de encanto! Caso não consiga estar, presencialmente, você poderá acompanhar através da Live, no Facebook/paroquiasaosebastiaoitaipu. A paróquia de São Sebastião fica na Estrada Francisco da Cruz Nunes, 8429 – Itaipu, Niterói, e  a Paróquia de São Judas Tadeu, na Av. Alm. Ary Parreiras, S/N – Icaraí, Niterói. Por Íngrid Bianchini Foto: divulgação Leia Mais »

Novos membros para a Comunidade Dom de Deus

No próximo domingo, dia 12 de dezembro, a Comunidade Católica Dom de Deus formará novos membros. Segundo o missionário Tony Januário, serão “50 novos discípulos, para fazerem parte do carisma e contribuir com a missão da Igreja Católica”, disse ele em nota. Sobre os formadores, o missionário destacou que “…durante um ano no Cef” (Centro de Evangelização e Formação), designado pela equipe do vocacional, tiveram encontros mensais de forma on-line e presencial.” E completou: “O carisma Dom de Deus, no desejo de abraçar o mundo, realiza seus encontros vocacionais nas dependências dos Cef,s de São Gonçalo, Niterói, Itaboraí, Iguaba e Registro/SP”, pontuou ele. No domingo acontecerá a Santa Celebração, no Sítio São José em Manilha/Itaboraí, e terá a presidência do padre Cláudio Lima, fundador da Comunidade Dom de Deus. Informações: comunidadedomdeDeus.com.br ou no Instagram: ComunidadeDomdeDeus. Por João Dias Foto: Dom e Carisma – arquivo Leia Mais »

JMJ 2023: símbolos peregrinam pelos caminhos do Alentejo

O padre Francisco Molho, diretor do Comité Organizador Diocesano de Beja da JMJ, revela pormenores sobre a primeira semana da peregrinação da cruz e do ícone nesta diocese. Foi no dia 27 de novembro que os símbolos da JMJ chegaram à diocese de Beja, na cidade de Mértola, que nessa ocasião acolhia o Dia Diocesano da Juventude. Conosco estiveram, na semana passada, os jovens de Salvador de Beja e de Cuba numa crónica na qual referiram serem testemunhas da alegria de pertencerem à Igreja de Cristo. Desta vez é o padre Francisco Molho quem assina o texto e o áudio de uma crónica que nos revela a primeira semana da peregrinação da cruz e do ícone na diocese de Beja. O diretor do Comité Organizador Diocesano de Beja da JMJ faz-nos viajar pelos caminhos do Alentejo. “Chegados à diocese de Beja, no dia 27 de novembro de 2021, data em que se celebrou a Jornada Diocesana da Juventude, em Mértola, os símbolos da JMJ iniciaram o seu percurso por esta diocese, começando pelo arciprestado de Almodôvar. Este é um dos seis arciprestados da diocese de Beja e o mais extenso territorialmente, caracterizado pela dispersão das populações, o que dá origem a um sem número de pequenos povoados. O desafio de chegar a todos era, portanto, gigantesco. Devido às limitações cronológicas e geográficas, foi preciso fazer opções, nem sempre as melhores, mas as possíveis. Os símbolos passaram, assim, entre 28 de novembro e 03 de dezembro, por Mértola, Santana de Cambas, Almodôvar, Santa Clara-a-Nova, Gomes Aires, Aldeia dos Fernandes, Rosário, Castro Verde, Messejana, Aldeia dos Elvas, Conceição, Aljustrel e Ourique. Foram expostos sobretudo nas igrejas, nas praças centrais e na escola, procurando deste modo o contacto não só com a comunidade cristã, como também com a população transeunte e os jovens em geral. Particularmente tocante foi a visita a algumas aldeias e lugares do concelho de Almodôvar (acima mencionados), onde a população, avisada telefonicamente pelo pároco, quando os símbolos se encontravam a caminho das suas terras, acorreu prontamente à igreja, para viver esta experiência única e maravilhosa da passagem dos símbolos. Uma senhora, depois da partida dos mesmos, enviou, em nome daquela comunidade, uma mensagem ao pároco, a agradecer a visita, referindo que “estamos de coração cheio”! Num Alentejo interior, profundamente envelhecido, não tem sido fácil chegar às camadas mais novas. Diante desta realidade, é notório que quem mais tem acompanhado a passagem dos símbolos têm sido os adultos e idosos. Não obstante, este facto comporta em si mesmo um desafio e um rastilho de esperança, uma vez que a JMJ é um encontro não apenas dos jovens, mas da Igreja em geral, e que através dos mais velhos podemos chegar aos mais novos, seus filhos e/ou netos. Nesta que foi a primeira semana de peregrinação dos símbolos pelos caminhos do Alentejo, começa-se já a sentir o dinamismo que estes vão inculcando na vida paroquial e na atenção necessária e crescente aos jovens. Como afirma o Documento Final do Sínodo dos Bispos sobre Os jovens, a fé e o discernimento vocacional: «a Igreja no seu conjunto fez uma opção muito concreta: considera esta missão [com os jovens] uma prioridade pastoral decisiva, na qual deve investir tempo, energias e recursos» (n.º 119). Espera-se que a peregrinação dos símbolos nesta diocese alentejana possa seguir in crescendo, chegando a todos, envolvendo-os no caminho de preparação para a JMJ Lisboa 2023 e dando-lhes a conhecer ou recordando-lhes o grande amor de Jesus e de Maria, para que não só os símbolos passem pela diocese, mas sobretudo a diocese passe pelos símbolos!” Desde 27 de novembro que os símbolos da JMJ foram acolhidos pela diocese de Beja. Na próxima semana teremos mais testemunhos e informações que os jovens alentejanos aqui partilharão connosco neste mês de dezembro. A Peregrinação dos Símbolos da Jornada Mundial da Juventude em Portugal é organizada pelo Departamento Nacional da Pastoral Juvenil que é um secretariado da Comissão Episcopal Laicado e Família da Conferência Episcopal Portuguesa. Laudetur Iesus Christus Por Rui Saraiva – Portugal Foto: Vatican Media Leia Mais »

Apresentada a arte do cartaz para o Mês Vocacional de 2022

Foi apresentado nesta quarta-feira, 8 de dezembro, por meio das redes sociais do Serviço de Animação Vocacional/Pastoral Vocacional Nacional, o cartaz para o Mês Vocacional de 2022, celebrado em agosto. A arte do cartaz para o Mês Vocacional de 2022 foi inspirada no tema escolhido pela Comissão para os Ministérios Ordenados e Vida Consagrada da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB): “Cristo Vive! Somos suas testemunhas” e no lema: “Eu vi o Senhor!” (Jo 20,18). O autor é o padre Reinaldo Leitão, natural do Maranhão, sacerdote e religioso rogacionista, atualmente diretor da Revista Rogate de Animação Vocacional. É formado em Design Gráfico pela Universidade Paulitas (Unip) e mestre em Tecnologia da Inteligência e Design Digital pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP). “Cristo Vive! O cartaz foi inspirado nesta certeza de fé, impulsionando-nos sempre mais para o testemunho da vida  que vence a morte e dá-nos a salvação”, diz o autor. Baixe o cartaz (AQUI). Elementos da Arte Cartaz do Mês Vocacional 2022 Padre Reinaldo explica o conceito do cartaz. Na arte, o Cristo ressuscitado busca evidenciar a boa notícia, o autor da vida, do chamado vocacional e da missão. O Coração e mãos chagadas representam o amor, a doação e os desafios na promoção e no cuidado para com a vida, dom vocacional. A Cruz, de acordo com ele, significa a vitória da vida sobre a morte, árvore da vida e esperança.  A mulher representa o primeiro anúncio e testemunho vocacional. A Luz e Caminho representa a fé que ilumina todo o itinerário e a missão vocacional. Sobre a temática do Mês Vocacional 2022 Em entrevista ao portal da CNBB, o padre João Cândido Neto, assessor da Comissão para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada, salientou que a proposta do Mês vocacional 2022 é anunciar a verdade de que Cristo vive. “Nós somos suas testemunhas, a exemplo de Maria Madalena no Evangelho, e a nossa missão como Igreja é anunciar a todo mundo que Cristo está vivo e que nós vimos o Senhor, experimentamos a sua presença, experimentamos que ele caminha conosco, fala conosco, que o seu amor é maior do que a própria morte”, disse. Padre João Cândido disse que o tema do Mês Vocacional quer ajudar toda a Igreja do Brasil a testemunhar o centro da fé cristã. “Jesus está ressuscitado, venceu a morte e ele nos chama para ser sua testemunha no meio deste mundo”. O assessor contou, ainda, que o Mês Vocacional 2022 estará bem próximo da abertura do Ano Vocacional que terá início no dia 20 de novembro de 2022. “Que este Mês Vocacional possa aquecer o coração de cada pessoa, de cada cristão para esse despertar vocacional de toda a Igreja. A Igreja vive a vocação sempre como graça e missão porque Jesus está vivo e nós somos testemunhas”, finalizou. Íntegra da CNBB Leia Mais »

Ato marcará o centenário de Dom Paulo Evaristo Arns

No próximo dia 10 de Dezembro, data em que se celebra pela 73ª vez a Declaração Universal dos Direitos Humanos, a Frente Inter-Religiosa Dom Paulo Evaristo Arns, em parceria com a Comissão Justiça e Paz de São Paulo e demais entidades, realiza ato para reforçar a importância e a urgência do respeito aos direitos e ao humano, no Parque da Juventude Dom Paulo Evaristo Arns. O ato, aberto a todas as pessoas, religiosas ou não, de todos os gêneros, cores, idades, etnias, nacionalidades, condições sócio-econômicas, profissões, opções políticas, também será uma homenagem aos 100 anos de nascimento de Dom Paulo Evaristo Arns. Os Direitos Humanos, atribuídos a todas as pessoas do mundo simplesmente por pertencerem à espécie humana, no Brasil foram incorporados à Constituição de 1988 graças a uma campanha que teve como principal líder Dom Paulo Evaristo Arns. Dom Paulo faz falta, mas seus ensinamentos permanecem presentes e nos inspirando. Homenagens No ato, que traz a marca da união e solidariedade através do fundamento inter-religioso, serão prestadas homenagens às vítimas do covid-19, especialmente às crianças e jovens órfãos pelo vírus, assim como a importantes defensores dos direitos humanos que morreram durante a pandemia. Esta homenagem estará simbolizada no plantio de uma árvore dedicada a Sergio Storch, integrante da Frente Inter-Religiosa falecido devido ao covid, e nos panfletos bordados por integrantes das Linhas de Sampa. Na programação, passado, presente e futuro (simbolizado pelas crianças da Pastoral) se unem na celebração inter-religiosa e na leitura dos artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos. A abertura do ato será realizada pelas crianças da Pastoral da Criança, fundada pela doutora Zilda Arns, irmã do Cardeal, e que tem como missão a defesa da vida e dos direitos das crianças e dos humanos no seu todo. Na data também acontecerá o lançamento da campanha para criação do Memorial em Homenagem às Vítimas do covid-19 no Parque da Juventude Dom Paulo Evaristo Arns. O texto de adesão poderá ser assinado no local. Dom Paulo Evaristo Arns Nascido em 1921 e falecido em 2016, dom Paulo, religioso franciscano, arcebispo e cardeal de São Paulo, se dedicou principalmente aos habitantes da periferia, aos trabalhadores, à formação de comunidades eclesiais de base e à defesa e promoção dos direitos humanos. Sempre esteve ao lado dos perseguidos e dos marginalizados. Era defensor da vida e da dignidade humana. Dom Paulo escreveu 56 livros e recebeu mais de uma centena de títulos nacionais e internacionais. Com posições firmes, trazia sempre a esperança em seus discursos. Como Dom Paulo costumava repetir: “Coragem! Esperança sempre!” Frente inter-religiosa dom Paulo Evaristo Arns Inspirados pelo exemplo dado no culto ecumênico por Vladimir Herzog, vítima dos torturadores do DOI-CODI, foi criada a Frente Inter-religiosa por Justiça e Paz, que tem Dom Paulo Evaristo Arns como patrono. O  movimento, que conta com religiosos, juristas, designers, artistas, cineastas, jornalistas e profissionais de diversas áreas, tem por objetivo inspirar as lutas por direitos para todos, e contra todas as formas de violência. Memorial em homenagem às vítimas da Covid-19 A Comissão Justiça e Paz de São Paulo lança campanha de adesão à instalação de Memorial às vítimas da Covid no Parque da Juventude Dom Paulo Evaristo Arns. O Memorial também prestará homenagem às instituições de saúde e científicas que evitaram um número ainda maior de vítimas, bem como os profissionais que heroicamente arriscaram suas vidas para garantir o Direito Humano à Saúde para a maioria da população. Em consulta preliminar, a ideia já recebeu a adesão de entidades como Comissão Arns, Comissão Brasileira Justiça e Paz, Frente Inter-religiosa Dom Paulo Evaristo Arns, e de personalidades como Margarida Genevois, José Gregori, José Carlos Dias, Paulo Sérgio Pinheiro, Belisário Santos Júnior, Fábio Konder Comparato, Silvia Steiner, Maria Victoria Benevides e Dom Odilo Scherer. Sobre o evento, anote na agenda: Dia: 10 de Dezembro de 2021 Horário: 10h Local: Parque da Juventude Dom Paulo Evaristo Arns. Av. Cruzeiro do Sul, 2630. Metrô Carandiru. O evento também será transmitido pelos canais da Internet. *Em respeito aos protocolos de segurança contra a COVID-19, use máscaras, álcool em gel e evite aglomerações. Íntegra da CNBB Leia Mais »

Papa nomeia Dom João Justino como Arcebispo de Goiânia (GO)

O Papa Francisco acolheu, nesta quinta-feira, 9 de dezembro, o pedido de renúncia apresentado por dom Washington Cruz ao governo pastoral da arquidiocese de Goiânia (GO), por motivo de idade, conforme o cânon 401 do Código de Direito Canônico. Foi escolhido pelo Santo Padre como sucessor de dom Washington o arcebispo de Montes Claros (MG), dom João Justino de Medeiros Silva, atual presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Cultura e a Educação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). A Presidência da CNBB saudou o novo bispo e enviou agradecimentos ao novo bispo emérito. Novo arcebispo Dom João Justino de Medeiros Silva é doutor e mestre em Teologia pela Universidade Gregoriana de Roma. Ingressou no Seminário Arquidiocesano Santo Antônio em 1984 onde cursou Filosofia e Teologia. Graduou-se em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Juiz de Fora e em Pedagogia pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora (CES/JF). Dom João Justino foi perito da Comissão Episcopal para a Doutrina da Fé da CNBB. Na Arquidiocese de Juiz de Fora, foi Vigário Episcopal para a Cultura, Educação e Juventude e secretário do Colégio de Consultores. Foi professor e coordenador do curso de Teologia do CES/JF. Em 2004, tornou-se reitor do seminário arquidiocesano de Juiz de Fora (MG). Na cidade mineira, também foi pároco-solidário na paróquia Nossa Senhora da Conceição de Benfica e paróquia do Bom Pastor. Também foi vigário paroquial na paróquia de São Pedro. Filho do casal Justino Emílio de Medeiros Silva e Maria de Lourdes Medeiros Silva, dom João Justino nasceu no dia 22 de dezembro de 1966 em Juiz de Fora (MG). Foi ordenado padre em 13 de dezembro de 1992. O Papa Bento XVI o nomeou bispo auxiliar da arquidiocese de Belo Horizonte no dia 21 de dezembro de 2011. Dom João Justino recebeu a ordenação episcopal no dia 11 de fevereiro de 2012, na Catedral de Santo Antônio, em Juiz de Fora (MG). Na arquidiocese de Belo Horizonte, dom João Justino de Medeiros Silva foi o bispo referencial da região episcopal Nossa Senhora da Piedade (Rensp), que abrange oito municípios, coordenando a ação evangelizadora e pastoral, o funcionamento e a infraestrutura da Cúria Regional. Esteve em permanente contato com os padres, religiosos e comunidades de fiéis desta região para escuta, orientações e avaliações. Presidiu os Conselhos Pastoral Regional, Presbiteral Regional, Pastoral de Forania, Pastoral Paroquial, Paroquial de Administração e Pastoral de Comunidade na Região Episcopal. O bispo trabalhou na articulação do Núcleo de Estudos Sociopolíticos (Nesp) na região episcopal Nossa Senhora da Piedade. Também realizou acompanhamento pastoral das unidades da PUC Minas, do Colégio Santa Maria (CSM) e demais instituições vinculadas presentes nessa Região. Discutiu e definiu com as instâncias competentes provisões e transferências. Dom João Justino supervisionou e orientou trabalhos no Tribunal Eclesiástico, na Secretaria Geral de Relações Sociais (SGRS) e na Secretaria Geral de Relações Eclesiais (SGRE). Acompanhou a vida, a administração e a ação evangelizadora dos santuários da arquidiocese, coordenando o Conselho Arquidiocesano de Reitores. Coordenou a administração da Mitra nos respectivos santuários, incentivando projetos evangelizadores e de infraestrutura. Acompanhou o seminário arquidiocesano Coração Eucarístico de Jesus (SACEJ). No Serviço de Animação Vocacional, orientou a equipe de coordenação, articulando o Conselho Arquidiocesano de Movimentos e Novas Comunidades (Camenc), além de outras instâncias para a promoção e animação das vocações. Orientou o desenvolvimento dos trabalhos do Vicariato Episcopal para a Ação Pastoral. Supervisionou o andamento, participou de reuniões, orientou as coordenações, concede pareceres, incentivou promoções e novos projetos na Mitra Arquidiocesana e no Fundo de Solidariedade. No Comitê Gestor da Presidência (CGP), participou de reuniões, informa-se, faz indicações e responsabiliza-se pelas questões envolvendo orçamentos, metas, e auxiliando nas orientações. Em 2015, foi eleito presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Cultura e Educação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e membro do Conselho Episcopal Pastoral (Consep), reeleito para as mesmas funções em 2019. Também foi eleito presidente da Comissão Episcopal para a Educação, do Regional Leste 2 da CNBB (Minas e Espírito Santo). Dom João Justino foi nomeado, em março de 2016, membro da Comissão de Cultura e Educação do Setor Universidades do Conselho Episcopal Latino-americano (Celam), e responsável pelas pastorais de Educação e Cultura no Cone Sul. Arcebispo emérito Aos 25 de maio de 1946, nasce Washington Cruz, na cidade de Itabuna, no Estado da Bahia, filho de José e Dejanira Cruz. É o sexto dos seis irmãos. Fez seus estudos primários no Colégio Divina Providência em sua cidade natal. Muito cedo ingressa no seminário da Congregação da Paixão (Passionistas) onde cursa o 1° e 2° graus no Seminário São Gabriel em Osasco (SP). Aos 16 de janeiro de 1966, após um ano de noviciado em Colombo (PR), faz os primeiros votos religiosos na Congregação Passionista. Em fevereiro de 1966 vai estudar em Roma, permanecendo por 8 anos na cidade eterna, onde cursou Filosofia (Bacharelado), Teologia e Especialização para Licenciatura em Teologia, na Universidade Lateranense. Ordenado sacerdote aos 25 de julho de 1971, na catedral de São José, em Itabuna Bahia, pelas mãos de dom Geraldo Pelanda, bispo Passionista. Em seguida volta para Roma, conclui seus estudos em 1974, quando regressa definitivamente ao Brasil. Seu primeiro campo de trabalho é sua cidade natal, onde permanece por 2 anos e meio como pároco da paróquia Santa Maria Goretti. Em 1976 foi para Jequié, como coordenador das Missões Populares, onde permaneceu até março de 1978, quando é transferido para Salvador, como pároco da paróquia Boa Viagem e formador dos jovens passionistas, onde permaneceu até a sua nomeação como bispo. Exerceu também a função de coordenador do Zonal VI (Regional Pastoral da Cidade Baixa), Salvador Bahia. Aos 25 de fevereiro de 1987 foi nomeado bispo para a diocese de São Luís de Montes Belos, em Goiás, no regional Centro Oeste. Aos 9 dias do mês de maio de 1987, foi ordenado bispo na catedral de Salvador-Bahia e aos 7 dias do mês de junho de 1987, às 9h30, na catedral São Luiz Gonzaga, numa celebração presidida por dom Antônio Ribeiro […] Leia Mais »