Atualidades

Santo Evaristo – Papa e Mártir 

Grego de Antioquia, mas nascido em Belém. O pai judeu era chamado Judas, também nascido em Belém. O testemunho de Evaristo é acolhido pelo Martirológio Romano, que escreveu precisamente: “Em Roma, santo Evaristo, Papa e Mártir, que, sob o Imperador...

O post Santo Evaristo - Papa e Mártir  apareceu primeiro em Santo do Dia.

O post Santo Evaristo – Papa e Mártir  apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Jornal Niterói Católico de novembro já tem data de publicação

O jornal Niterói Católico, há 57 anos presente na Arquidiocese de Niterói, será publicado no dia 3 de novembro. Assim informou  0 Setor de Comunicação da Arquidiocese de Niterói (SECOM), que está preparando a edição de Novembro de 2021. O Jornal Niterói Católico, está totalmente online e com a opção de download. Thiago Maia, Design Gráfico do Setor de Comunicação criou um formato diferenciado, e os exemplares, do Niterói Católico se tornaram uma revista online. A Arquidiocese possui uma forte presença nos meios de comunicação, a começar pelo seu próprio site, oferecendo conteúdos referentes aos acontecimentos arquidiocesanos. Além disso, o jornal impresso, Niterói Católico contribui para a transmissão de notícias da Igreja niteroiense. A versão online, assim como a edição física, proporciona ao leitor a experiência de folhear as páginas, em versão para a internet, com interatividade, ou seja, todas as páginas completas, com anúncios, fotos e matérias. Durante todo este ano de 2021, a publicação será apenas online. Por João Dias Arte: Arquivo – Thiago Maia

O post Jornal Niterói Católico de novembro já tem data de publicação apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Catequistas dos Vicariatos Rural e Lagos terão formação online

A Irmã Maria Inês Venâncio, Coordenadora da Dimensão Catequética na Arquidiocese de Niterói, assessora, no dia 30 de outubro, com o apoio do SECOM da Arquidiocese de Niterói, fará uma formação para catequistas, através da plataforma Google Meet, para os vicariatos Rural e Lagos. O encontro tem início às 10h e os temas serão: “Identidade e vocação do catequista para o exercício do seu ministério” e “Um novo olhar sobre a catequese”. A organização é da Pastoral Catequética do Seminário São José, com os seminaristas Artur José, Felipe Cuba, João Marcos e Marcos Felipe.  Irmã Maria Inês Venâncio convidou os catequistas dos dois Vicariatos. Disse ela: “Queridos catequistas. Infelizmente a pandemia não permitiu aos seminaristas da Pastoral Catequética exercerem seu estágio Pastoral, visitando as paróquias da Arquidiocese. Esta formação será online. Iremos dividir de dois em dois os Vicariatos”, destacou ela. A irmã apresentou os seminaristas que irão ministrar a formação: “Felipe Silva Cuba (Discipulado II), João Marcos Lino Tavares (Discipulado II), Artur José Mendes de Oliveira (Discipulado III) e Marcos Felipe da Silva Sodré (Discipulado III)”. A próxima formação será no dia 6 de novembro, para os vicariatos Niterói e Oceânico. Por João Dias Arte: Divulgação

O post Catequistas dos Vicariatos Rural e Lagos terão formação online apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

A comunicação e seus processos a partir da perspectiva cristã

O grupo de reflexão sobre comunicação, o Grecom, pertencente à Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), esteve reunido na tarde desta sexta-feira, 22 de outubro, de modo online, a fim de refletir a comunicação e seus processos a partir da perspectiva cristã.  Num primeiro momento, os membros do grupo refletiram sobre o artigo de autoria da Aline Amaro, cujo título é “Igreja e comunicação digital: das redes de comunicação às redes de comunhão”. O relato do texto foi feito por Marcus Tullius, membro do Grupo e coordenador nacional da Pastoral da Comunicação Nacional.   A proposta do texto, segundo a própria autora, é a de pensar a relação entre Igreja e comunicação digital e questionar a relação da Igreja com o mundo de hoje.  No artigo, Aline Amaro cita, dentre outras coisas, que a cultura digital traz novos desafios para a autoridade e ensinamento oficial da Igreja. “Antes para chegar a mensagem do Papa até o fiel leigo, era necessário ser comunicada ao bispo, depois ao pároco e por fim chegava a base da comunidade. Com a comunicação em rede, temos acesso direto e em tempo real aos pronunciamentos e ações do Sumo Pontífice onde quer que ele esteja”, diz um trecho do artigo.  A autora menciona, ainda, que a sede de conexão demonstra o desejo por comunhão inerente ao ser humano. “Passar da experiência da rede de conexão para a rede de comunhão depende da abertura e solicitude humana, mas sobretudo é dom gratuito de Deus que age misteriosamente na sua Igreja”, diz.  Aline defende que, ao buscar a integralidade entre os espaços que o ser humano habita, a Igreja dá passos para se tornar on-life: uma eclesiologia que integre a vivência da fé física e digital em uma única e mesma realidade de comunhão com Deus e com toda a família humana.   Sendo assim, a autora conclui que ao pensar a relação entre Igreja e comunicação digital não é “apenas preocupar-se com sua presença, atualização e ação nas novas mídias, é sobretudo reavaliar seu papel, contribuição e integração na sociedade contemporânea”.  Outros pontos da pauta  Na pauta, também estiveram presentes propostas e atividades do Grupo para 2022. Uma delas é a de que os participantes irão pensar numa estruturação e viabilização dos estudos e atividades do Grecom, no site da CNBB.   Reuniões trimestrais, sempre às sextas, foram definidas para serem realizadas em 2022. Além disso, o Grupo pretende gravar podcasts periódicos com temas pertinentes de comunicação.    Uma proposta de revisão e reforma do Diretório de Comunicação também está prevista para ser apresentada no ano que vem pelo Grupo.  O Grecom  São integrantes do Grecom os pesquisadores Andréia Gripp, Joana Puntel, Moisés Sbardelotto, Aline Amaro, Mozahir Salomão Bruck, Ricardo Alvarenga, além do coordenador nacional da Pascom, Marcus Tullius, os assessores da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da CNBB, Manuela Castro e Tiago Sibula, e o presidente da Comissão para a Comunicação, dom Joaquim Mol.  Íntegra da CNBB

O post A comunicação e seus processos a partir da perspectiva cristã apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Comunidade realiza encontro sobre Método de Ovulação Bilings

No dia 7 de novembro, a partir das 8h30, a Comunidade Católica Dom de Deus, realiza um encontro sobre Método de Ovulação Bilings. Segundo o missionário, Tony Januário o acontecerá “no CEF Imaculado de Manilha/Itaboraí.”, o evento irá respeitar todos os protocolos de segurança em vigor. Ainda segundo a nota enviada ao jornalismo da Arquidiocese de Niterói, “(…) a proposta é abordar o sentido da fecundidade, inspirado na Encíclica Humana Vitae e no MOB-Método de Ovulação Bilings, além de explicitar a educação do filho na fé, e os valores do matrimônio e a maturidade conjugal.”, destaca a nota. A nota ainda descreve que “o encontro é destinado para solteiros, namorados, noivos e casados, e vocacionados ao matrimônio, os interessados podem participar de maneira on-line ou presencial. A taxa de inscrição é de R$ 15 reais já inclusos o almoço.”, informa Tony Januário. Durante todo o encontro o uso de máscara de proteção é obrigatório. As informações adicionais poderão serem obtidas na página da comunidade em comunidadedomdedeus.com.br ou pelo número (21) 98308-6135. Por João Dias Arte: Dom e Carisma Para fins da LGPD, o número de WhatsApp publicado nesta matéria, foi enviado pela Comunidade Dom de Deus, através do missionário Tony Januário.

O post Comunidade realiza encontro sobre Método de Ovulação Bilings apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Papa Francisco: reaprender a escuta no processo sinodal

O Papa Francisco recebeu no Vaticano nesta segunda-feira (25) uma peregrinação ecumênica vinda da Alemanha “Com Lutero ao Papa”. Na ocasião convidou todos a se unirem para escutar a melodia de Deus, que o Senhor compôs dentro da vida de cada um. Também desejou a disponibilidade de escuta para a Igreja afirmando: “Estamos reaprendendo a escuta no processo sinodal” Na manhã desta segunda-feira (25) o Papa Francisco recebeu uma peregrinação ecumênica proveniente da Alemanha que tem como lema “Melhor todos juntos”. Após a saudação inicial o Papa agradeceu a canção comunitária cantada pelos presentes e disse: “Cantar une as pessoas. No coro, ninguém está sozinho: é importante escutar os outros. Desejo esta disponibilidade de escuta para a Igreja. Estamos reaprendendo a escuta no processo sinodal”. Abram seus corações Em seguida disse aos presentes: “Queridos amigos, escutem também a melodia de Deus em suas vidas; a melodia que o Senhor compôs dentro de suas vidas. Abram não somente seus ouvidos, mas também seus corações. Quem canta de coração aberto, talvez sem se dar conta, já toca o mistério de Deus. Este mistério é o amor, o amor que em Jesus Cristo encontra seu som esplêndido, pleno e único“. E concluiu o encontro desejando: “Ouçam sempre a melodia de Deus em suas vidas. Porque um canto é formado por muitas vozes. E o mesmo acontece com o ecumenismo, na Alemanha e em muitas outras partes do mundo”. Íntegra Vatican News Foto Arquivo: Vatican Media

O post Papa Francisco: reaprender a escuta no processo sinodal apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Paulinas celebra 90 anos com Semana de Comunicação

A Paulinas, em comemoração aos seus 90 anos, está promovendo uma Semana de Comunicação online, “O Humano na Dinâmica da Comunicação Pastoral” é o tema escolhido para o evento, com início hoje, 25 de outubro às 20h, até  sexta-feira, 29 de outubro.  “Preparamos uma semana de comunicação especial, 90 anos de Paulinas no Brasil. As irmãs Paulinas têm a missão de anunciar o Evangelho com a comunicação. Como Igreja, somos chamadas a formar agentes para uma comunicação de vida, fé e cultura”, destacou Giberto Opilar, aproveitando para divulgar a hashtag “#SemanadeComunicação”. Concluiu Gilberto: As “…Paulinas no Brasil lhe oferecem esse presente: Semana de comunicação “O humano na dinâmica da comunicação Pastoral”. Preparar o humano é a base para saber usar a técnica. Acompanhe os nossos temas e venha com a gente se aperfeiçoar nessa área pastoral, essencial para a nossa Igreja hoje”, convidou ele. Para participar da Semana de Comunicação, entre em contato com a Paulinas Niterói, nos telefones: (21) 99069-7248 ou (21) 2622-1219. O Coordenador do Setor de Comunicação e da Pascom Arquidiocesana, Padre Cláudio Lima irá ministrar seu curso na sexta, dia 29 de outubro. Veja o convite: Confira a programação: Por João Dias Arte: divulgação

O post Paulinas celebra 90 anos com Semana de Comunicação apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Papa: pedir tudo a Jesus, pois Ele tudo pode

A exemplo de Bartimeu, ter uma fé concreta, insistente e corajosa – exortou o Papa – expondo com confiança o coração diante do Senhor e levando a Ele nossa história e os rostos que fazem parte de nossa vida. “Quando a fé é viva, a oração é sincera: não mendiga trocados, não se reduz às necessidades do momento. A Jesus, que tudo pode, deve ser pedido tudo. Ele não vê a hora para derramar sua graça e sua alegria em nossos corações”. A fé concreta, insistente e corajosa de Bartimeu nos foi apresentada como exemplo pelo Papa Francisco, ao refletir no Angelus deste 30º Domingo do Tempo Comum sobre a narrativa apresentada no Evangelho de Marcos (Mc 10, 46-52). Dirigindo-se aos milhares de fiéis e turistas reunidos na Praça São Pedro, em um belo domingo de outono, o Papa começa destacando a importância deste encontro entre Bartimeu – “um cego que mendiga ao longo do caminho” – e Jesus, que se preparava para entrar em Jerusalém para a Páscoa. A fé, raiz do milagre Se os gritos de Bartimeu “Filho de Davi, Jesus, tem piedade de mim” incomodaram a multidão e os apóstolos, não passaram desapercebidos de Jesus, que percebe que sua voz “é cheia de fé, uma fé que não tem medo de insistir, de bater no coração de Deus, apesar da incompreensão e repreensões. E aqui – ressaltou o Papa – está a raiz do milagre. Na verdade, Jesus lhe disse: ‘A tua fé te curou’”. Ou seja, “a fé de Bartimeu, transparece pela sua oração. Não é uma oração tímida, uma oração convencional. Antes de tudo, ele chama o Senhor de “Filho de Davi”, isto é, o reconhece como Messias, o Rei que vem ao mundo. Depois o chama pelo nome, com confiança: “Jesus”. Não tem medo dele, não se distancia. E assim, de coração, grita ao Deus amigo todo o seu drama: ‘Tem piedade de mim!'”. Não pede algum trocado como faz com os transeuntes. Não, não. Aquele que tudo pode, pede tudo. Às pessoas pede trocados, a Jesus, que pode fazer tudo, pede tudo: “Tem piedade de mim, tem piedade de tudo o que sou”. Não pede uma graça, mas apresenta a si mesmo: pede misericórdia para a sua pessoa, para a sua vida. Não é um pedido pequeno, mas é belíssimo, porque invoca a piedade, isto é, a compaixão, a misericórdia de Deus, a sua ternura. Apresentar-se inteiramente ao Senhor, como somos “Bartimeu não usa muitas palavras – recorda Francisco –  diz o essencial e confia-se no amor de Deus, que pode fazer a sua vida voltar a florescer realizando o que é impossível aos homens”: Por isso, não pede esmola ao Senhor, mas manifesta tudo, a sua cegueira e o seu sofrimento, que iam além do não poder ver. A cegueira era a ponta do iceberg, mas em seu coração haveria feridas, humilhações, sonhos desfeitos, erros, remorsos. E ele rezava com o coração. “E nós – pergunta o Papa – quando pedimos uma graça a Deus, colocamos também na oração a nossa própria história: as feridas, as humilhações, os sonhos desfeitos, os erros, os remorsos?” E ao sugerir para fazermos nossa a oração “Filho de David, Jesus, tem piedade de mim!”, o Papa exorta a nos perguntarmos: “Como vai a minha oração?”: É oração corajosa, tem a boa insistência daquela de Bartimeu, sabe “agarrar” o Senhor que passa, ou contenta-se em dar-lhe uma saudação formal de vez em quando, quando me lembro? Estas orações mornas não ajudam nada. Fé viva, oração sincera Depois – acrescentou Francisco – também podemos nos perguntar se “nossa oração é “substanciosa”, expõe o coração diante do Senhor: levo a ele a história e os rostos da minha vida? Ou é anêmica, superficial, feito de rituais sem afeto e sem coração?“: Quando a fé é viva, a oração é sincera: não mendiga trocados, não se reduz às necessidades do momento. A Jesus, que tudo pode, tudo deve ser pedido. Não se esqueçam disso. A Jesus que tudo pode, deve ser pedido tudo, com a minha insistência diante d’Ele. Ele não vê a hora para derramar sua graça e sua alegria em nossos corações, mas infelizmente somos nós que mantemos distância, talvez por timidez, ou preguiça ou descrença. Tantos de nós, quando rezamos, não acreditamos que o Senhor possa realizar o milagre. Oração insistente e corajosa Para ilustrar o resultado de uma oração insistente e expectante, o Papa voltou a contar uma história ocorrida quando era arcebispo na Argentina: com a filha pequena desenganada pelos médicos, um pai viajou 70 km de ônibus até um Santuário mariano. Mesmo estando fechado, ele passou a noite agarrado às grades do portão rezando e clamando: “Senhor, salva-a. Senhor, dá a ela a vida”. Ao voltar ao hospital na manhã seguinte, encontrou a esposa que chorava, mas não de tristeza: “Não se entende, não se entende. Os médicos dizem algo estranho: parece curada”. “Aquele grito daquele homem que pedia tudo, foi ouvido pelo Senhor que lhe havia dado tudo”, disse o Papa, acrescentando: “Esta não é uma história, eu vi isso”!: “Mas temos coragem na oração? Peçamos tudo àquele que pode dar tudo, como Bartimeu, que é um grande mestre, um grande mestre na oração nisto.” Que Bartimeu – disse ao concluir – seja um exemplo para nós com a sua fé concreta, insistente e corajosa. E que Nossa Senhora, a Virgem orante, nos ensine a dirigir-nos a Deus de todo o coração, confiando que Ele escuta atentamente cada oração. Por Jackson Erpen – Cidade do Vaticano Foto: Vatican News

O post Papa: pedir tudo a Jesus, pois Ele tudo pode apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

PASCOM Brasil apresenta calendário 2022 em reunião

Na tarde de sábado, 23 de outubro, a coordenação nacional da Pascom promoveu o 2º Encontro Anual de Coordenadores Arqui/Diocesanos e Assessores Eclesiásticos da Pastoral da Comunicação, que contou com a participação de mais de 100 comunicadores, de 82 arqui/dioceses do país. O encontro foi conduzido pelo coordenador geral da Pascom Brasil, Marcus Tullius, e contou com a participação do bispo auxiliar de Belo Horizonte e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da CNBB, dom Joaquim Mol e o assessor da comissão, Padre Tiago Sibula. A oração inicial, conduzida pelo Pe. Tiago Sibula, teve a meditação do Evangelho de Marcos 10,46-52, proclamado no 30º domingo comum. O sacerdote partilhou que, enquanto preparava a meditação, encontrou uma oração e levou para ser rezada. Todos os comunicadores acompanharam em silêncio. Jesus, vivo duvidando e tu me dizes: confia. Tenho medo e me dizes: ânimo. Prefiro estar só e me dizes: segue-me. Faço meus planos e me dizes: deixa-os. Agarro-me às minhas coisas e me dizes: desprende-te. Quero viver e me dizes: dá tua vida. Quero ser bom e me dizes: não basta. Quero mandar e me dizes: põe-te a servir. Desejo compreender e me dizes: crê. Busco clareza e me falas em parábolas. Quero poesia e me falas da realidade. Desejo tranquilidade e me deixas inquieto. Quero violência e me falas de paz. Busco tranquilidade e vens trazer fogo à terra. Quero ser grande e me dizes: sê como uma criança. Quero esconder-me e me dizes: sê luz. Quero ser visto e me dizes: reza no oculto. Não te entendo Jesus. Tu me desconcertas e me atrais. Só tu tens palavras de vida eterna. Em sua mensagem aos comunicadores, após a oração inicial, Dom Mol afirmou a necessidade dos pasconeiros estarem alinhados com a caminhada sinodal. “Sinodalidade é uma postura mental, uma atitude existencial. E a comunicação é uma exigência! Não tem sinodalidade, se não tem comunicação“, afirmou o bispo. O presidente da Comissão de Comunicação reforçou a vocação dos comunicadores. Para ele, “a comunicação nos chamou primeiro, é o próprio Cristo que nos chama. A comunicação é um processo que envolve pessoas em relação. Quando somos comunicadores, somos exigidos pela cultura do encontro. Todo comunicador é para facilitar a cultura do encontro!” Após a fala de Dom Mol, o encontro teve continuidade com a apresentação do planejamento para o de 2022. O coordenador geral, Marcus Tullius, apresentou o objetivo para a Pascom no próximo ano. Motivada pelo Sínodo dos Bispos sobre sinodalidade e a proposta do Papa Francisco para o 56º Dia Mundial das Comunicações Sociais, o grande objetivo é a partir de Jesus Cristo, escutar os comunicadores, levando a esperança e a alegria do Evangelho em suas comunidades eclesiais missionárias. Na sequência, os coordenadores dos grupos de trabalho (GTs) que são inspirados nos eixos da Pascom apresentaram as ações previstas. Padre Jerffeson Adelino, assessor eclesiástico do Regional Nordeste 2 apresentou a ação do GT Espiritualidade, que se baseia na Leitura Orante da Palavra de Deus. Já o Padre Tiago Barbosa, do Regional Sul 1 e coordenador do GT Formação, apresentou aquele que será o grande projeto da Pascom Brasil: a Escola Nacional de Comunicação, que está em sistematização juntamente com a Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, a PUC Minas. O coordenador do GT Produção e do regional Leste 1, Adielson Agrelos, falou sobre a presença da Pascom no ambiente digital e a missão de produzir conteúdos para as diversas plataformas onde está presente, como o portal, redes sociais e podcasts. Por fim, o coordenador do Regional Nordeste 1 e do GT Articulação, Alex Ferreira, destacou as ações de aproximação que estão sendo desenvolvidas para estimular a articulação nos mais diversos níveis. Para buscar a proximidade com os agentes, principalmente os mais novos, e estreitar os laços com as coordenações, serão feitas as ações de acolhimento aos novos agentes e visitas aos regionais. O coordenador geral, após a apresentação dos eixos, divulgou as principais datas para o ano de 2022, que serão detalhadas posteriormente e podem sofrer alteração. JANEIRO  24 – Lançamento da mensagem do Papa Francisco para 56º Dia Mundial das Comunicações Sociais – Divulgação do vencedor do Concurso para Identidade Visual do Dia Mundial das Comunicações Sociais FEVEREIRO  15 – Conexão Pascom – divulgação do subsídio de preparação para o DMCS (20h) 26 – Roda de conversa com novos membros da Pascom (15h) MARÇO  12 – Aula inaugural da Escola de Comunicação da Pascom Brasil MAIO  23 a 28 – Semana da Comunicação (em parceria com Signis Brasil e Assessoria de Comunicação da CNBB) 29 – 56º Dia Mundial das Comunicações Sociais JUNHO  25 – Roda de conversa com novos membros da Pascom (15h) JULHO  21 – Encontro Anual da Coordenação Nacional da Pascom – Bispos referenciais, assessores eclesiásticos e coordenadores/as regionais 22 a 24 – 7º Encontro Nacional da Pascom, em Aparecida SETEMBRO  20 – Conexão Pascom (20h) 24 – Roda de conversa com novos membros da Pascom (15h) OUTUBRO  18 – Conexão Pascom (20h) 22 – 3º Encontro anual de Coordenadores Arqui/Diocesanos e Assessores Eclesiásticos da Pascom (15h às 17h) NOVEMBRO  22 – Conexão Pascom (20h) Ao fim do encontro, houve a oportunidade para que os presentes tirassem dúvidas e partilhassem seus trabalhos. Íntegra PASCOM Brasil

O post PASCOM Brasil apresenta calendário 2022 em reunião apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Santo Antônio de Sant’Anna Galvão (Frei Galvão)

Conhecido como “o homem da paz e da caridade”, Antônio de Sant’Anna Galvão, popularmente conhecido como Frei Galvão, nasceu no dia 10 de maio de 1739 na cidade de Guaratinguetá (SP). Filho de Antônio Galvão, português natural da cidade de Faro em Portugal, e de Isabel Leite de Barros, natural da cidade de Pindamonhangaba, em São Paulo. O ambiente familiar era profundamente religioso. Antônio viveu com seus irmãos numa casa grande e rica, pois seus pais gozavam de prestígio social e influência política. O pai, querendo dar uma formação humana e cultural segundo suas possibilidades econômicas, mandou Antônio, com a idade de 13 anos, à Bahia, a fim de estudar no seminário dos padres jesuítas. Entre os anos de 1752 e 1756, realizou grandes progressos nos estudos e na prática cristã. Em 1760, ingressou no noviciado da Província Franciscana da Imaculada Conceição, no Convento de São Boaventura do Macacu, na Capitania do Rio de Janeiro. Foi ordenado sacerdote no dia 11 de julho de 1762, sendo transferido para o Convento de São Francisco em São Paulo, a fim de aperfeiçoar-se em filosofia e teologia, e exercitar-se no apostolado. Foi neste período que realizou sua “entrega a Maria”, como seu filho e escravo perpétuo. Em 1774, fundou o Recolhimento de Nossa Senhora da Conceição da Divina Providência, hoje, Mosteiro da Imaculada Conceição da Luz, das Irmãs Concepcionistas da Imaculada Conceição. Cheio do espírito da caridade, não media sacrifícios para aliviar os sofrimentos alheios. Por isso, o povo a ele recorria em suas necessidades. A caridade de Frei Galvão brilhou, sobretudo, como fundador do mosteiro da Luz, pelo carinho com que formou as religiosas e pelo que deixou nos estatutos do então recolhimento da Luz. São páginas que tratam da espiritualidade, mas em particular da caridade de como devem ser vivida a vida religiosa e tratadas as pessoas de dentro e de fora do “recolhimento”. Às 10 horas do dia 23 de dezembro de 1822, no Mosteiro da Luz de São Paulo, havendo recebido todos os sacramentos, adormeceu santamente no Senhor, contando com seus quase 84 anos de idade. Foi sepultado na Capela-Mor da Igreja do Mosteiro da Luz, e sua sepultura ainda hoje continua sendo visitada pelos fiéis. Sobre a lápide do sepulcro de Frei Galvão está escrito para eterna memória: “Aqui jaz Frei Antônio de Sant’Anna Galvão, ínclito fundador e reitor desta casa religiosa, que tendo sua alma sempre em suas mãos, placidamente faleceu no Senhor no dia 23 de dezembro do ano de 1822”. Sob o olhar de sua Rainha, a Virgem Imaculada, sob a luz que ilumina o tabernáculo, repousa o corpo do escravo de Maria e do Sacerdote de Cristo, a continuar, ainda depois da morte, a residir na casa de sua Senhora ao lado de seu Senhor Sacramentado. Frei Galvão é o religioso cujo coração é de Deus, mas as mãos e os pés são dos irmãos. Toda a sua pessoa era caridade, delicadeza e bondade: testemunhou a doçura de Deus entre os homens. Era o homem da paz, e como encontramos no Registro dos Religiosos Brasileiros: “O seu nome é em São Paulo, mais que em qualquer outro lugar, ouvido com grande confiança e não uma só vez, de lugares remotos, muitas pessoas o vinham procurar nas suas necessidades”. O dia 25 de outubro, dia oficial do santo, foi estabelecido, na Liturgia, pelo saudoso Papa João Paulo II, na ocasião da beatificação de Frei Galvão em 1998 em Roma. Com a canonização do primeiro santo que nasceu, viveu e morreu no Brasil, a 11 de maio de 2007, o Papa Bento XVI manteve a data de 25 de outubro. São Frei Galvão, rogai por nós! Oração: “Deus, pai de misericórdia, que fizeste  do bem-aventurado Frei Antônio de Sant’Anna Galvão um instrumento de caridade e de paz no meio dos irmãos, concedei-nos, por sua intercessão, favorecer sempre a verdadeira concórdia. Por Nosso Senhor Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.” Referência: Devocionário a Santo Frei Galvão – Editora Canção Nova. 

O post Santo Antônio de Sant’Anna Galvão (Frei Galvão) apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »