Atualidades

SEGUNDA-FEIRA – CÁTEDRA DE SÃO PEDRO

(branco, glória, pref. dos apóstolos I, – ofício da festa) O Senhor disse a Simão Pedro: Roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça. E tu, por tua vez, confirma os teus irmãos (Lc 22,32). A cátedra é o símbolo da liderança de Pedro em relação à comunidade cristã primitiva. Atualmente é o […]

O post SEGUNDA-FEIRA – CÁTEDRA DE SÃO PEDRO apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

São Pedro Damião

São Pedro Damião, Bispo e Doutor da Igreja. Nasceu em Ravena, Itália no ano de 1007. Marcado desde cedo pelo sofrimento porque perdeu os seus pais, foi morar e viver com seu irmão. No amor e no acolhimento, São Pedro Damião pode discernir a sua vocação. Oração e penitência, algo que sempre acompanhou a vida […]

O post São Pedro Damião apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Santo Francisco e Santa Jacinta – irmãos videntes de Fátima

Santo Francisco e Santa Jacinta, receberam as mensagens de Nossa Senhora de Fátima e souberam viver suas dores No ano de 1908, nasceu Francisco Marto. Em 1910, Jacinta Marto. Filhos de Olímpia de Jesus e Manuel Marto. Eles pertenciam a uma grande família; e eram os mais novos de nove irmãos. A partir da primavera […]

O post Santo Francisco e Santa Jacinta – irmãos videntes de Fátima apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

SÁBADO DEPOIS DAS CINZAS

(roxo – ofício do dia) Atendei-nos, Senhor, na vossa grande misericórdia; olhai-nos, ó Deus, com toda a vossa bondade (Sl 68,17). Sobre seus filhos e filhas, Deus estende sua mão poderosa e pousa seu olhar repleto de misericórdia. Nesta celebração, abramos nosso espírito à conversão e ao seguimento de Cristo. Primeira Leitura: Isaías 58,9-14 Leitura […]

O post SÁBADO DEPOIS DAS CINZAS apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

DOM JOSÉ FRANCISCO – Cuidados para o tempo presente

Diante da pandemia, alguns cuidados são urgentes. Além daqueles preceitos higiênicos, que todos já conhecem, esses irão ajudar você a se manter (como se diz) “de cabeça boa”: mente sã num corpo são. Mantenha o máximo de sua rotina diária possível. Continue usando o despertador: levante-se, vista-se, faça o café da manhã. Estabeleça metas para o seu dia. Se você não conseguir manter determinadas rotinas por não poder sair de casa, tente encontrar alternativas. Se você puder, fique em casa, não saia. Mas jamais fique ocioso. Se estiver fora do ambiente de trabalho, use esse período para fazer as coisas que você queria fazer há muito tempo. Assista a todas as séries e filmes que você queria ver. Leia todos os livros, que ficaram acumulando poeira na prateleira. Limpe a casa. Reorganize seu quarto. Faça as coisas que você sempre quis e nunca teve tempo. Seja criativo. Pinte. Cante. Escreva uma música, um poema, aquele conto que você queria escrever há tanto tempo. Faça coisas aleatórias que prendam sua atenção. Que tal, finalmente, organizar o seu computador? Ele deve estar cheio de documentos e pastas inúteis! Não seria ótimo organizar tudo de acordo com as necessidades atuais? E as fotos digitais? Este é um ótimo momento para relembrar sua história e organizar os fatos. Já ia me esquecendo. Seja gentil com as pessoas próximas.  Para muitos de nós, será um desafio ficar com outras pessoas em um ambiente fechado, como numa casa ou apartamento, mesmo que estejamos rodeados de entes queridos e amados. Viver, por longos períodos, em espaços confinados, não deixa de ser estressante. E essa é a novidade do momento, nunca experimentada em, pelo menos, 100 anos. Algumas recomendações podem ajudar.

O post DOM JOSÉ FRANCISCO – Cuidados para o tempo presente apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

PE. DOUGLAS – Deixai-vos reconciliar com Deus

Ao iniciarmos, com toda a Igreja, a caminhada quaresmal, somos convidados, pela liturgia a, realmente, nos deixarmos reconciliar com Deus. A mais uma vez, deixarmos que Deus nos leve para junto dEle, que nos dê a graça de uma nova vida, de um novo recomeço, de tal maneira, que eu e você, ao chegarmos na Páscoa do Senhor, não apenas celebremos a Sua Páscoa, a Sua ressurreição, celebremos também a nossa Páscoa, a nossa ressurreição, para que assim, de fato, possamos todos nós, vivenciar uma nova vida. São Paulo (2Cor 5,20-6,2) deixava claro pra nós, que é preciso que deixemos, que Deus faça a Sua parte, deixemos que Deus nos chame de volta pra junto dEle. Mas é preciso que nós também estejamos atentos ao que Ele nos fala. Não apenas essa obra é uma obra do Senhor, mas é uma obra em conjunto. Somos nós, com Ele! Somos nós, juntos do Senhor, que faremos uma verdadeira obra de conversão. Assim nós, de fato, hoje, precisamos acolher o convite de Paulo, que dizia a todos nós: “Não desperdicemos a graça de Deus. Não recebamos a graça de Deus em vão.” Há quantos anos, celebramos a Quaresma, há quantos anos, você e eu celebramos a quarta-feira de cinzas… O que mudou em nossa vida? Somos melhores hoje? Somos mais convertidos? mais santos? vivemos mais de acordo com o Senhor? Ou com o passar do tempo nós até pioramos? Não podemos, meus irmãos e irmãs, iniciar este tempo da quaresma como mais um tempo, como mais uma ocasião em que nos reunimos, para celebrar a nossa fé. É preciso que iniciemos, com o desejo sincero de mudarmos de vida, de nos convertermos, para que assim, então, vivamos o que o profeta Joel nos dizia (Jl 2,12-18), quando nos convidava a reconhecer que esse Deus nos chama pra junto dEle, para que nós vivamos como Ele, para que a nossa vida transpareça que somos, de fato, filhos e filhas de Deus. Mas para que isso aconteça, é necessário que  nos empenhemos. Que busquemos a conversão, que busquemos a mudança de vida, mas sobretudo, que busquemos esta transformação, dentro de nós. O profeta Joel dizia: “rasgai os vossos corações e não as vestes”. Jesus (Mt 6,1-6.16-18)  nos convidava a acolher o grande tripé que nos acompanha no tempo da quaresma e ao longo de toda nossa vida, fazendo com que a esmola, a oração e o jejum não fossem práticas meramente exteriores, práticas para nos exibirmos diante dos outros, diante, talvez, daqueles que não são católicos, que não são cristãos, como se nós, ao fazermos estas práticas fôssemos melhores do que os outros. Cuidado, meus irmãos, porque nós podemos estar vivendo como verdadeiros fariseus. O próprio Jesus nos alertava para não praticarmos nossa justiça diante dos homens, porque se assim fosse,  já teríamos a recompensa. É preciso que nos convertamos, diante do Senhor, porque de fato, os outros colherão os frutos da nossa conversão, mas não podemos fazer da quaresma um verdadeiro carnaval, um desfile de fantasias, onde eu e você, talvez, nos vistamos como um cristão piedoso, que coloca a cinza na cabeça, faz jejum, faz abstinência de carne, mas não se converte, não se torna um cristão melhor, não se torna um cristão mais caridoso, não se torna um cristão mais fiel à palavra de Deus. Não permitamos que esta quaresma seja mais uma. Ao iniciarmos esse tempo, cada um de nós precisa assumir, com muita firmeza, um propósito. O que eu quero mudar? Neste tempo da graça de Deus, o que vou fazer pra mudar a minha vida? Não adianta uma lista de grandes propósitos, não adianta uma lista nem de 3 propósitos. Se terminarmos a quaresma, tendo vivido um propósito, podemos agradecer muito a Deus. Porque imagine, se a cada quaresma, a cada ano, você melhorou um ponto da sua vida… Já tem 30 anos de quaresma, já tem 30 pontos melhorados na vida… Por isso hoje, devemos nos perguntar, com muita sinceridade: o que eu quero mudar na minha vida? Não adianta dizer, ‘eu preciso muito mudar isto na minha vida, padre’! Isto não resolve, é preciso querer. O que eu quero? Para que daqui a 40 dias, ao chegar no tempo pascal, eu possa dizer, eu consegui dar um passo, eu consegui melhorar, eu consegui me converter mais. Por isso, Jesus nos oferece 3 práticas da quaresma, que não apenas deveriam ser vividas ao longo destes 40 dias, mas ao longo de toda a nossa vida.  Quando o Senhor nos convidava, primeiramente, a termos um olhar  que extrapola o nosso umbigo, um olhar que extrapola o nosso ego, um olhar que nos leva a enxergar o outro. O outro que precisa de mim, o outro que é, na verdade, pra mim, imagem do próprio Senhor  que eu sirvo, que eu sigo… Por isso, a prática da esmola, não como se fosse algo que me consolasse, simplesmente, porque eu tenho e dou ao outro. Não, porque eu quero o bem do outro, porque eu quero que ele saia dessa vida, porque quero resgatá-lo para uma vida melhor. Por isso que ajudamos os outros. É preciso que tenhamos esse olhar que possa ajudar os outros, capaz de enxergar quem passa na nossa vida, necessitado, e talvez essa esmola não seja uma nota de 2 reais ou uma moeda de 1 real, que eu entrego a alguém. Que seja a esmola de um olhar, de uma palavra, de um  toque, de tal maneira que sejamos capazes, como temos ouvido, de fazer o mesmo que Jesus, estender a nossa mão para levantar o outro, para levantar quem precisa da minha presença, do meu auxílio. E ao mesmo tempo, Jesus nos oferecia, como proposta, um tempo quaresmal, no qual intensificamos a nossa oração. É triste vermos, meus irmãos, como nós ainda não sabemos rezar. Quantas vezes, eu e você entramos na igreja e não sabemos rezar. Pense como você dialoga com Deus, hoje! Na verdade, você deveria se perguntar ‘eu falo com Deus? […]

O post PE. DOUGLAS – Deixai-vos reconciliar com Deus apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

São Conrado

O santo de hoje viveu em Placência, na Itália, lugar onde casou-se também. Um homem de muitos bens, dado aos divertimentos e à caça. Numa ocasião de caçada, acidentalmente provocou um incêndio, prejudicando a muitas pessoas. Ele então fugiu, e a polícia prendeu um inocente, que não sabendo se defender, estava prestes a ser condenado […]

O post São Conrado apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

SEXTA-FEIRA DEPOIS DAS CINZAS

(roxo – ofício do dia) O Senhor me ouviu e teve compaixão. O Senhor se tornou o meu amparo (Sl 29,11). A vivência exterior do jejum tem valor para Deus quando acompanhada pela prática da justiça e da solidariedade. Celebremos a Eucaristia, dispostos a acudir o próximo em suas necessidades. Primeira Leitura: Isaías 58,1-9 Leitura […]

O post SEXTA-FEIRA DEPOIS DAS CINZAS apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »