Atualidades

Missa da Ascensão do Senhor será transmitida pelas Rede Sociais e Rádio

Solenidade da Ascensão do Senhor, como os Bispos da Arquidiocese de Niterói, será transmitida, ao vivo, pelo Facebook, YouTube e a Rádio oficial da Arquidiocese. Como vem acontecendo todos os domingos, às 8h, os Bispos da Arquidiocese de Niterói, celebram a Santa Missa na capela da residência episcopal. A Arquidiocese de Niterói, vem seguindo as orientações das autoridades sanitárias, com todas as suas igrejas de portas fechadas, as celebrações são apenas online. O domingo da Ascensão do Senhor este ano é o dia 24 de maio, neste dia também é celebrado 54º Dia Mundial das Comunicações.  Participe da Santa Missa através do site: https://arqnit.org.br, https://fb.com/arqnit, https://fb.com/radioanunciadora ou https://youtube.com/arqnit. Por João Dias Arte: Thiago Maia

O post Missa da Ascensão do Senhor será transmitida pelas Rede Sociais e Rádio apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Colégio Salesiano prepara apresentação online em honra a Padroeira

A padroeira da Arquidiocese, Nossa Senhora Auxiliadora será homenageada pelo Colégio Salesianos em Santa Rosa no dia 24 de maio, domingo, com uma live musical, às 16h, no Instagram do Colégio. A cantora cantora soprano, Lívia Dias irá se apresentar na Live do Instagram da instituição @saleniteroi. A programação especial para celebrar Nossa Senhora Auxiliadora, terá também pelo instagram do Colégio Salesiano (@saleniteroi), a Missa Solene de Nossa Senhora Auxiliadora, na segunda-feira, 25 de maio às 19h30, na Basílica de Nossa Senhora Auxiliadora, em Santa Rosa. Por João Dias com informações de Mariana Brum Arte: divulgação

O post Colégio Salesiano prepara apresentação online em honra a Padroeira apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

DOM LUIZ RICCI – Mortes naturais e/ou evitáveis?

Desde 2003 tenho pesquisado sobre o conceito “mistanásia”– morte evitável e injusta, cunhado em 1989 pelo bioeticista brasileiro Padre Marcio Fabri dos Anjos. Diante do cenário atual tenho me perguntado, de modo recorrente e orante, se as mortes por conta da Covid-19 são todas “naturais” e/ou “evitáveis”? Naturais e evitáveis! Natural porque esse vírus é fortemente destrutivo. Mesmo com a melhor oferta de tratamento e cuidados intensivos, muitos pacientes infelizmente vão a óbito, com idades variadas e sem pertencer ao “grupo de risco”. Outras não são naturais e sim evitáveis porque muitos dos que morreram infelizmente não tiveram acesso ao atendimento digno, por falta de leitos, médicos e investimentos que deveriam ser realizados a longo e curto prazo. Trata-se da mistanásia, da morte evitável, sobretudo do pobre e vulnerado. Sabia-se que o Sistema de Saúde poderia entrar em colapso, como ocorrera em alguns países. Contudo, se sabíamos, o que fizemos? Muito do que foi prometido, ainda não foi entregue. Por essa razão urge distinguir o mal natural causado pelo vírus, do mal moral gerado pela ação ou omissão deliberadas das autoridades competentes. As questões éticas que emergem são: Quantas mortes aconteceram exclusivamente em decorrência da letalidade do vírus? Quantas ocorrem por conta do colapso do sistema sanitário, apesar de todos os esforços e investimentos para ampliar os atendimentos? Quantas por conta do colapso do Sistema Público, que se instalava progressivamente no decorrer dos anos e, mais ainda, neste momento de pandemia, por conta da negligência do Estado e governantes que deveriam cuidar de todos e garantir o igual direito à saúde e à vida? A resposta à essas questões são fundamentais para adequada avaliação ética do morrer em tempo de pandemia: natural ou evitável? Tudo isso, sem contar os que foram contaminados, sobretudo os profissionais e trabalhadores da saúde, por falta de equipamentos de segurança e condições dignas de trabalho. Nestes casos, a contaminação poderia ter sido evitada. É claro que a pandemia é um tema complexo e não há sistema capaz de acolher demanda com velocidade e proporção tamanhas. Contudo, não se pode justificar a negligência do Estado que deixou de fazer o que poderia ter sido feito.  Como evitar o colapso do sistema se este já estivesse em quase colapso pela persistente falta de investimentos e ou desvio de recursos destinados à saúde? Com muita razão, a sociedade como um todo, sempre olhou para o nosso SUS com muita atenção, respeito e desejo de melhoramento. Em Niterói, por exemplo, desde 2018 se realiza a “Caminhada em Defesa do SUS”, promovida pela Pastoral da Aids, com o apoio das Pastorais Sociais e vários seguimentos da sociedade organizada que lutam pela vida. Defender o SUS é defender a vida! Diferentemente da Europa e Ásia, o Brasil teve um tempo maior para se preparar de modo coordenado para o enfrentamento de tão terrível pandemia. Os saberes científicos e tecnológicos devem estar sempre a serviço da vida, o bem maior e absoluto. Saber para poder prever… É claro que o conhecimento de um vírus tão complexo e mortal exige tempo e dedicação incansável por parte dos pesquisadores. Contudo, com o conhecimento que tínhamos associado ao “privilégio” de replicar experiências internacionais bem-sucedidas, volto a me perguntar: o que fizemos? Saber para poder prever… Saber para poder fazer… No caso brasileiro, a politização da pandemia, o distanciamento da vida real e concreta das pessoas e o desgaste imenso de energia com crises criadas, fez com que o foco saísse do campo sanitário e científico e adentrasse perigosa e letalmente no campo da má política, de uma quase necropolítica (política da morte) e, infelizmente, também da estupidez e cinismo. Também me pergunto, podendo estar enganado, por que o Brasil recebeu pouquíssima ajuda internacional e humanitária (médicos, insumos, equipamentos etc) como recebera a Itália e outros países? Onde estão os nossos parceiros? Tudo o que foi feito e adquirido sabe-se ser fruto de muito trabalho e dedicação incansável de gestores e políticos responsáveis pela vida.  É na dor que se reconhece os verdadeiros amigos e defensores da vida! Também na dor, infelizmente, aparecem os aproveitadores insensíveis e maldosos para levar algum tipo de vantagem. Aqui se confirma o que sempre acreditei e procurei ensinar: a importância da boa política para a organização justa, sadia e solidária da comunidade. Ao desprezar e muitas vezes demonizar a boa política colocamos a vida em risco. Tudo passa pela política! Como sabiamente ensinou o Papa Bento XVI: “a sociedade justa deve ser realizada pela política”. A boa política deveria ter a primazia para poder indicar com clareza critérios e opções para o enfrentamento ético e célere da pandemia. Reconhecemos as boas iniciativas dos poderes executivo e legislativo na formulação de medidas pontuais para o socorro imediato dos vulneráveis, pobres e empresas, a fim de garantir a vida e o emprego. Tudo isso foi e é necessário, porém não suficiente. Está faltando ainda um grande pacto social pela vida, uma ação coordenada e estável entre os Poderes, Ministérios, Instituições, Empresários e Sociedade em geral para que a vida seja agora preservada e no futuro próximo retomada ao novo normal. É tarde, mas não tarde demais! A responsabilidade de muitos pelas mortes evitáveis está registrada no implacável livro da história; no “Livro da Vida” estão inscritos os nomes dos que se colocaram a serviço da vida, de vários modos, com fortaleza invencível, não obstante tantas situações adversas. Gratidão sincera a todos e todas! “Somos responsáveis por aquilo que fazemos, o que não fazemos e o que impedimos de ser feito” (A. Camus). Vamos ter que responder diante de Deus, de nossa consciência e das gerações futuras pelo genocídio silencioso dos pobres e daqueles que morreram não apenas por causa do vírus, mas também por negligência política que impediu que todos fossem atendidos com dignidade e morressem com dignidade, caso a morte fosse inevitável. Certamente, se assim o fosse, a dor dos familiares seria um pouco menor. E a nossa também!  Estamos falando de mortes evitáveis, de morte social, causada pela persistente injustiça, […]

O post DOM LUIZ RICCI – Mortes naturais e/ou evitáveis? apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Jornal Niterói Católico no mês de junho será online mais uma vez

Esta será a terceira edição em que o Jornal Niterói Católico será online. Para o mês de junho não haverá, mais uma vez a publicação física, e estará disponível inclusive, para download, no dia 1º de junho, como o Setor de Comunicação da Arquidiocese de Niterói (SECOM-ArqNit) voltou a informar, devido à pandemia do Covid-19. A Arquidiocese tem uma forte presença nos meios de comunicação, a começar pelo seu próprio site, oferecendo conteúdos referentes aos acontecimentos arquidiocesanos. Além disso, o jornal impresso, Niterói Católico, contribui para a transmissão de notícias da Igreja niteroiense. A versão online, assim como a edição física, proporciona ao leitor a experiência de folhear as páginas em versão para a internet, com interatividade, ou seja, todas as páginas completas, com anúncios, fotos e matérias. O Niterói Católico tem 55 anos de existência, com publicações ininterruptas. Fundado em 1964, voltado para o público católico, é um dos mais antigos em sua categoria. Sua história está diretamente ligada ao crescimento e desenvolvimento da Diocese de Niterói, hoje Arquidiocese. De suas origens, conservou a faculdade de ser porta-voz legítimo e reconhecido da Igreja de Niterói, testemunha fiel da história, tornando-se formador isento da opinião pública cristã. Por João Dias Arte: Thiago Maia

O post Jornal Niterói Católico no mês de junho será online mais uma vez apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

“LIVE SHOW FIQUE EM CASA” recebe Ghislaine Cantini e Le Cantini

A “LIVE SHOW FIQUE EM CASA” recebe as cantoras Ghislaine Cantini e Le Cantini, sexta-feira, dia 21 de maio, às 20h, com transmissão pelas Redes Sociais da Arquidiocese e pela Rádio Anunciadora. O Setor de Comunicação da Arquidiocese (SECOM), com autorização do Arcebispo Metropolitano de Niterói, Dom José Francisco, apresentará todas as sextas, neste horário, uma nova atração. Mãe e filha irão recordar muitas canções que marcaram épocas, além de músicas novas. Os telespectadores poderão enviar seus comentários, que serão colocados ao longo da apresentação. Em tempos de quarentena, buscar maneiras de passar o tempo em casa é tarefa recorrente de todos. Neste cenário, uma forma de entretenimento vem fazendo sucesso na internet: as lives. Durante todo o período de isolamento social, aos domingos, Dom José Francisco, Arcebispo de Niterói, Dom Luiz Antônio, Bispo eleito de Friburgo e Dom Frei Alano, Arcebispo emérito, celebram a Santa Missa, às 8h, na residência Episcopal. Nesta sexta-feira, 21 de maio, às 20h, acompanhe a apresentação de Ghislaine Cantini e Le Cantini. Prepare a TV ou o computador e divirta-se! Por João Dias Arte: Thiago Maia

O post “LIVE SHOW FIQUE EM CASA” recebe Ghislaine Cantini e Le Cantini apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Pastorais Sociais terão formação online amanhã

A reinvenção é consequência desta situação extraordinária que estamos vivendo, ainda para evitar a propagação da pandemia da COVID-19. A Igreja passa por um isolamento social, para um bem, e este ato de fé, de esperança e de caridade não pode parar. Assim, as pastorais da Arquidiocese de Niterói estão se reinventando, para cumprir as recomendações das Autoridades Sanitárias. As Pastorais Sociais terão, amanhã, dia 22 de maio, às 18h, uma formação com o Bispo eleito de Nova Friburgo, Dom Luiz Ricci, na Live do Facebook das Pastorais Sociais. Segundo informou a coordenação da Pastoral Social, esta será a última Formação do Bispo, para a Arquidiocese de Niterói, antes de se transferir para Nova Friburgo. A Live será no Facebook, com início às 18h, e terá como tema: “Pandemia e Direito à Vida” – “Ressoar o contágio da Esperança” (Papa Francisco). A Formação será ministrada por Dom Luiz Ricci, Bispo eleito de Nova Friburgo e da Comissão Estadual de Justiça e Paz, e Raphael Costa, Consultor humanitário na ONU e coordenador das Pastorais Sociais. Assista a essa formação, acessando o Facebook no dia 22 de maio às 18h, e participe da Live no fb.com/pastoraissocias.arqnit. Por João Dias Arte: Pastorais Sociais

O post Pastorais Sociais terão formação online amanhã apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Em tempos de reinvenção Pastorais Sociais terão formação online

A reinvenção é consequência desta situação extraordinária que estamos vivendo, ainda para evitar a propagação da pandemia da COVID-19. A Igreja passa por um isolamento social, para um bem, e este ato de fé, de esperança e de caridade não pode parar. Assim, as pastorais da Arquidiocese de Niterói estão se reinventando, para cumprir as recomendações das Autoridades Sanitárias. As Pastorais Sociais terão, sexta-feira, dia 22 de maio, às 18h, uma formação com o Bispo eleito de Nova Friburgo, Dom Luiz Ricci, na Live do Facebook das Pastorais Sociais. Segundo informou a coordenação da Pastoral Social, esta será a última Formação do Bispo, para a Arquidiocese de Niterói, antes de se transferir para Nova Friburgo. A Live será no Facebook, com início às 18h, e terá como tema: “Pandemia e Direito à Vida” – “Ressoar o contágio da Esperança” (Papa Francisco). A Formação será ministrada por Dom Luiz Ricci, Bispo eleito de Nova Friburgo e da Comissão Estadual de Justiça e Paz, e Raphael Costa, Consultor humanitário na ONU e coordenador das Pastorais Sociais. Assista a essa formação, acessando o Facebook no dia 22 de maio às 18h, e participe da Live no fb.com/pastoraissocias.arqnit. Por João Dias Arte: Pastorais Sociais

O post Em tempos de reinvenção Pastorais Sociais terão formação online apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Jornal do Vaticano “L’Osservatore Romano” lança APP gratuito

O Jornal do Vaticano L’Osservatore Romano, lançou um App gratuito com a edição digital. Segundo Andressa Collet, do site Vatican News, “o  App, já disponível pra ser baixado pela Apple Store e pelo Google Store, é a mais nova experiência do jornal da Santa Sé. Com dois modos de visualização diferentes, dá para folhear as páginas da versão digital ou ir direto para as notícias de interesse”, destacou ela. “Por enquanto, o aplicativo gratuito oferece a edição do dia na língua italiana”, informou Andressa Collet, acrescentando que outras línguas poderão ser adicionadas em breve. O lançamento aconteceu na segunda-feira, 18 de maio, dia do centenário de nascimento de João Paulo II, inclusive com uma edição especial pelo aniversário de Wojtyła, com 14 páginas coloridas de notícias, testemunhos, recordações e uma saudação do Papa Francisco. Andressa Collet relatou que “Entre os autores da edição especial, estavam o Patriarca Bartolomeu, o cardeal Pietro Parolin, Secretário de Estado do Vaticano e antigos colaboradores de Karol Wojtyła, que contaram episódios inéditos da vida privada do Papa polonês”. O diretor do jornal, Andrea Monda, afirma que foi “uma dupla iniciativa, muito importante para L’Osservatore Romano, que confirma a sua natureza de ver unidas a memória e a inovação, tradição e abertura ao futuro. De uma parte, lembramos e celebramos a figura de São João Paulo II, o Pontífice profético que conduziu a Igreja no novo milênio, contribuindo para fechar a página dolorosa do séc. XX. Da outra, o lançamento do App diário, para estarmos sempre mais presentes nos lugares e no tempo do hoje e do amanhã”. Andressa Collet informou ainda que “L’Osservatore Romano é um dos dois jornais que o Papa Francisco já disse que lê, diariamente, e o aconselha a todos.” Quanto à história do jornal, ela informa que a primeira edição ocorreu em “1º de julho de 1861, e se renova em versão digital, com navegação simples e rápida, para uma melhor experiência do usuário. A nova ferramenta aprimora um trabalho de mais de 150 anos contando a história. O jornal diário, político e religioso já enfrentou profundas transformações, para responder melhor às expectativas dos Papas. As diretrizes seguem apresentando todos os textos pontifícios e os documentos da Santa Sé”, finalizou Andressa Collet. Por João Dias/Andressa Collet Foto: Vatican News (autorizada a publicação)

O post Jornal do Vaticano “L’Osservatore Romano” lança APP gratuito apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Rádio e Rede Sociais transmitem o Terço da Esperança e da Solidariedade

Mais uma vez, as Rede Sociais da Arquidiocese de Niterói e a Rádio Anunciadora transmitem, em união com a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o Terço da Esperança e da Solidariedade, nesta quarta, 20 de maio, a partir das 15h25, com iniciativa da CNBB. Depois de quase três meses, o encontro semanal das quartas-feiras de oração será transmitido ao vivo, às 15h30 no horário de Brasília, direto do Santuário da Basílica de Nossa Senhora da Piedade, no alto da serra, no interior de Belo Horizonte/MG. Nas edições anteriores, o momento era gravado e retransmitido, no mesmo horário, nas Redes Sociais da Arquidiocese e pelas emissoras de rádio e TV de inspiração católica. Pela transmissão nas Redes Sociais da Arquidiocese de Niterói, o internauta poderá participar, escrevendo nos comentários. O santuário fica a mais de 1700 metros de altitude, no alto da Serra da Piedade, no município de Caeté. O espaço abraça para si um horizonte infindável de montanhas de Minas Gerais, num panorama que circunda o espaço em 360 graus, e de onde podem ser avistadas 9 cidades: além da própria Caeté e de Belo Horizonte, a quase 50 Km, Contagem, Lagoa Santa, Nova União, Raposo, Sabará, Santa Luzia e Vespasiano. O local, tombado como Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e declarado Atrativo Turístico de Especial Relevância para Minas Gerais, abriga uma imagem da Padroeira do Estado, Nossa Senhora da Piedade – obra de Aleijadinho, datada do séc. XVIII. São 250 anos de peregrinação e fé, para aquele que é considerado um espaço especial de encontro com Deus. A CNBB solicita que todos utilizem a hashtag adotada pelo Papa Francisco: #rezemosjuntos. “O Terço da Esperança e da Solidariedade é uma iniciativa da CNBB que, frente à pandemia do novo coronavírus e, em comunhão com o Papa Francisco, no compromisso de intensificar as orações neste período, une todo o Brasil em um momento comum de oração”, descreve o portal da CNBB. Por João Dias com informações da Santa Sé Arte: Thiago Maia

O post Rádio e Rede Sociais transmitem o Terço da Esperança e da Solidariedade apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »

Niterói Católico de junho será online devido à Covid-19

Esta será a terceira edição em que o Jornal Niterói Católico será online. Para o mês de junho não haverá, mais uma vez a publicação física, e estará disponível inclusive, para download, no dia 1º de junho, como o Setor de Comunicação da Arquidiocese de Niterói (SECOM-ArqNit) voltou a informar, devido à pandemia do Covid-19. A Arquidiocese tem uma forte presença nos meios de comunicação, a começar pelo seu próprio site, oferecendo conteúdos referentes aos acontecimentos arquidiocesanos. Além disso, o jornal impresso, Niterói Católico, contribui para a transmissão de notícias da Igreja niteroiense. A versão online, assim como a edição física, proporciona ao leitor a experiência de folhear as páginas em versão para a internet, com interatividade, ou seja, todas as páginas completas, com anúncios, fotos e matérias. O Niterói Católico tem 55 anos de existência, com publicações ininterruptas. Fundado em 1964, voltado para o público católico, é um dos mais antigos em sua categoria. Sua história está diretamente ligada ao crescimento e desenvolvimento da Diocese de Niterói, hoje Arquidiocese. De suas origens, conservou a faculdade de ser porta-voz legítimo e reconhecido da Igreja de Niterói, testemunha fiel da história, tornando-se formador isento da opinião pública cristã. Por João Dias Arte: Thiago Maia

O post Niterói Católico de junho será online devido à Covid-19 apareceu primeiro em Arquidiocese de Niterói.

Leia Mais »